anuncie aqui
Notícias recentes
BNDES suspende leilão de distribuidoras da Eletrobras

BNDES suspende leilão de distribuidoras da Eletrobras

access_time13/07/2018 08:55

A Comissão Especial de Licitação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emi

Acordo do MP e Mineradora proporciona novos equipamentos para o Hospital Regional

Acordo do MP e Mineradora proporciona novos equipamentos para o Hospital Regional

access_time16/05/2019 09:04

Continua a parceria do Ministério Público com Hospital Regional de Peixoto de Azevedo que vem recebe

Sem apoio do MDB, Temer não deve disputar reeleição

Sem apoio do MDB, Temer não deve disputar reeleição

access_time14/05/2018 07:43

Não foi por acaso que o presidente Michel Temer, cujo governo completou dois anos no sábado (12), pa

Mato Grosso

Prefeito Maurício entregou tratores e equipamentos para a Agricultura Familiar

Prefeito Maurício entregou tratores e equipamentos para a Agricultura Familiar

access_time18/06/2019 09:25

O Prefeito Maurício Ferreira acompanhado dos vereadores Ambrósio e Sarado e Secretários Municipais entregou no sábado (15) para pequenos produtores e associações da Agricultura Familiar através da Sec...

Mais dois cursos são concluídos pela Secretaria de Assistência Social

Mais dois cursos são concluídos pela Secretaria de Assistência Social

access_time18/06/2019 09:20

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azevedo encerrou mais dois cursos de qualificação profissional, a Secretaria Marisete esteve acompanhando a finalização dos dois cursos. O...

Governo de MT alega tranferir dinheiro à Justiça, mas burocracia impede que funcionários da Santa Casa recebam

Governo de MT alega tranferir dinheiro à Justiça, mas burocracia impede que funcionários da Santa Casa recebam

access_time18/06/2019 09:16

Os funcionários da Santa Casa de Cuiabá ainda não receberam a primeira parcela dos salários que estão atrasados, embora o governo do estado tenha feito o depósito junto à Justiça do Trabalho na quarta...

Brasil

Gustavo Montezano será o novo presidente do BNDES

Gustavo Montezano será o novo presidente do BNDES

access_time18/06/2019 09:15

O secretário adjunto de Desestatização e Desinvestimento, Gustavo Montezano, será o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O nome foi anunciado há pouco pelo Ministério da Economia, em nota oficial.  Auxiliar direto do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, Montezano precisará ter a indicação aprovada pelo Conselho de Administração do BNDES.  Graduado em engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e Mestre em Finanças pelo Ibmec, Montezano tem 17 anos de carreira no mercado financeiro. Sócio do Banco Pactual, atuou como responsável pela área de crédito, resseguros e project finance (financiamento de projetos) e foi diretor-executivo da área de commodities do banco em Londres. Monezano tem 38 anos. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que o presidente Jair Bolsonaro reuniu-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, por duas vezes hoje. Segundo o porta-voz, a substituição de um titular é considerada uma situação normal em função do interesse público e capacidade de colocar os projetos em andamento com vistas a tingir os resultados estabelecidos anteriormente. “Uma das medidas que se deseja é a devolução dos recursos do banco para o Tesouro Nacional. Além disso, deve aumentar investimentos em infraestrutura e saneamento e ajudar a reestruturar, ‘abrir a caixa-preta do passado’, apontando para onde foram investidos em Cuba e na Venezuela, por exemplo”, disse Rêgo Barros. Por meio da rede social Twitter, Bolsonaro também anunciou o novo presidente do BNDES, publicando uma foto de Montezano, com o currículo dele. No comunicado, o Ministério da Economia informou que agradece a Joaquim Levy pela dedicação demonstrada no comando do BNDES desde janeiro. Levy renunciou à presidência da instituição financeira ontem (16). No sábado (15), o presidente Jair Bolsonaro disse que Levy estava "com a cabeça a prêmio há algum tempo”, em frente ao Palácio da Alvorada, pouco antes de embarcar para um evento no Rio Grande do Sul . A comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga supostas irregularidades no BNDES ouvirá Levy no dia 26. Segundo o presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), o requerimento para convocação de Levy havia sido aprovado pela comissão em abril. Dessa forma, mesmo após ter se demitido do cargo, Joaquim Levy é obrigado a comparecer à comissão.

Classificados

Mundo

Trump lança campanha para a sua reeleição

Trump lança campanha para a sua reeleição

access_time18/06/2019 09:13

Quando o presidente dos EUA, Donald Trump, lançar oficialmente sua campanha de reeleição em Orlando, na Flórida, na noite de hoje (18), diante de uma multidão de 20.000 pessoas, ele não será nem favorito nem candidato sem chance. Especialistas dizem que não é conclusiva a discussão se Trump continuará ou não seu trabalho no primeiro posto da nação norte-americana. "Eu diria que talvez em 50/50", disse Kyle Kondik, editor-gerente do Sabato's Crystal Ball, um boletim político apartidário produzido na Universidade de Virginia Center for Politics. Mas. em um primeiro momento, essa avaliação parece otimista. Na verdade, o índice nacional de aprovação de Trump gira em torno de 40%. O único presidente desde 1945 que teve um índice de aprovação mais baixo nesta fase de seu primeiro mandato foi Jimmy Carter em 1977. As classificações de aprovação nem sempre são os melhores indicadores do sucesso eleitoral. De acordo com a mesma análise feita por FiveThirtyEight, o Presidente George H.W. Bush estava sentado perto de 70 por cento neste momento em seu primeiro mandato, e mesmo assim viu-se derrotado pelo democrata Bill Clinton em 1992. Para vencer, Trump precisa manter ou expandir sua base nos principais estados que ele conquistou em 2016. É uma tarefa difícil, mas há vários fatores importantes que podem levar Trump a uma segunda vitória, apesar de sua relativa impopularidade.  A tarefa é poderosa, especialmente quando um presidente em exercício preside uma economia em um tempo de relativa paz. "Essas são as condições desafiadoras para um presidente em exercício que se propõe a vencer uma nova eleição", disse Kondik.