anuncie aqui
Notícias recentes
Procura por congelamento de óvulos no Brasil triplica em 5 anos, apontam clínicas

Procura por congelamento de óvulos no Brasil triplica em 5 anos, apontam clínicas

access_time21/09/2018 07:31

Desde criança a publicitária Camila Alvarenga de Paula Pinto, hoje com 37 anos, alimenta uma certeza

Sem transporte para animais, 80% das indústrias frigoríficas paralisam atividades

Sem transporte para animais, 80% das indústrias frigoríficas paralisam atividades

access_time25/05/2018 14:19

Cerca de 80% das indústrias frigoríficas de Mato Grosso paralisaram as atividades no estado em decor

Sábado acontecerá mais uma Campanha de Doação de Sangue

Sábado acontecerá mais uma Campanha de Doação de Sangue

access_time05/11/2018 07:24

A campanha acontecerá no sábado (10), das 07h às 11h na UPA ao lado do Hospital Regional de Peixoto

Mato Grosso

Motoristas morrem após duas carretas baterem de frente em cima de ponte

Motoristas morrem após duas carretas baterem de frente em cima de ponte

access_time15/12/2018 08:56

Dois homens morreram na tarde desta sexta-feira (14) após as carretas que conduziam bateram de frente sobre na ponte sobre o Rio Chiqueirão na BR-364, em Rosário Oeste, a 133 km de Cuiabá. As pista...

Nova iluminação da Avenida Itamar Dias é inaugurada

Nova iluminação da Avenida Itamar Dias é inaugurada

access_time14/12/2018 17:45

Em clima de Natal, aconteceu na quarta-feira (12), ato de ligação da nova iluminação em led da Avenida Itamar Dias e também da decoração Natalina. Na obra que tem investimentos da TIP (Taxa de Ilum...

Funcionário de clínica de reabilitação é esfaqueado por paciente que estava internado

Funcionário de clínica de reabilitação é esfaqueado por paciente que estava internado

access_time11/12/2018 17:37

Um jovem que estava internado em uma clínica de reabilitação para dependes químicos em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, foi preso suspeito de esfaquear um dos funcionários no domingo (9)...

Brasil

Lula vira réu por lavagem de dinheiro em negócio na África

Lula vira réu por lavagem de dinheiro em negócio na África

access_time14/12/2018 17:35

A Justiça Federal aceitou a denúncia do Ministério Público e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou réu em um processo pelo crime de lavagem de dinheiro por supostamente ter recebido R$ 1 milhão para intermediar discussões entre o governo de Guiné Equatorial e o grupo brasileiro ARG para a instalação da empresa no país. A denúncia, apresentada em novembro pela Força Tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo, foi recebida pela Justiça Federal nesta sexta-feira (14). Segundo denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo, Lula recebeu a quantia dissimulada em forma de uma doação da empresa ao Instituto Lula, entre setembro de 2011 e junho de 2012. O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, afirmou em nota que "a denúncia não aponta qualquer ato concreto praticado por Lula que pudesse configurar a prática de lavagem de dinheiro ou tráfico de influência". "A abertura de uma nova ação penal contra Lula com base em acusação frívola e desprovida de suporte probatório mínimo é mais um passo da perseguição que vem sendo praticada contra o ex-presidente com o objetivo de impedir sua atuação política por meio da má utilização das leis e dos procedimentos jurídicos (lawfare)", diz a nota. "A doação questionada foi dirigida ao Instituto Lula, que não se confunde com a pessoa do ex-presidente. Além disso, trata-se de doação lícita, contabilizada e declarada às autoridades, feita por mera liberalidade pelo doador. Quando o MPF fez a denúncia, a assessoria de imprensa do Instituto Lula afirmou que todas as doações recebidas por ela "são legais, declaradas, registradas, pagaram os impostos devidos". Ainda de acordo com o comunicado, as doações "foram usadas nas atividades fim do Instituto e nunca tiveram nenhum tipo de contrapartida". Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, condenado a 12 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção no caso do triplex no Guarujá (SP). Além de Lula, o MPF denunciou ainda o controlador do grupo ARG, Rodolfo Giannetti Geo, pelos crimes de tráfico de influência em transação comercial internacional e lavagem de dinheiro. Como Lula tem mais de 70 anos, o crime de tráfico de influência prescreveu em relação a ele. As negociações começaram entre setembro e outubro de 2011. Segundo o MPF, Geo pediu a Lula para que interviesse junto ao presidente da Guiné Equatorial, Obiang Nguema Mbasogo, para que o governo continuasse realizando transações comerciais com a ARG, especialmente na construção de rodovias. O MPF dizer que conseguiu provar a transação com base em e-mails encontrados em computadores no Instituto Lula, apreendidos em março de 2016 na Operação Aletheia, 24ª fase da Operação Lava Jato de Curitiba. Histórico Em e-mail de 5 de outubro de 2011, o ex-ministro do Desenvolvimento do governo Lula Miguel Jorge, escreveu para Clara Ant, diretora do Instituto Lula, que o ex-presidente havia dito a ele que gostaria de falar com Geo sobre o trabalho da empresa na Guiné Equatorial. Segundo o ex-ministro informava no e-mail, a empresa estava disposta a fazer uma contribuição financeira “bastante importante” ao Instituto Lula. Em maio de 2012, Geo encaminhou a Clara Ant por e-mail uma carta digitalizada de Teodoro Obiang para Lula e pede para que seja agendada uma data para encontrar o ex-presidente e lhe entregar a original. Também informa à diretora do instituto que voltaria à Guiné Equatorial em 20 de maio e que gostaria de levar a resposta de Lula. Lula escreveu uma carta a Obiang em que mencionava um telefonema entre ambos e que acreditava que o país poderia ingressar, futuramente, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A carta foi entregue em mãos ao presidente da Guiné Equatorial por Rodolfo Geo. Na carta, Lula diz a Obiang que Geo dirige a Arg, “empresa que já desde 2007 se familiarizou com a Guiné Equatorial, destacando-se na construção de estradas”. Na análise dos dados apreendidos no Instituto Lula foi localizado registro da transferência bancária de R$ 1 milhão pela ARG ao instituto em 18 de junho de 2016. Recibo emitido pela instituição na mesma data e também apreendido registra a “doação”. Para o MPF, não se trata de doação, mas pagamento de vantagem a Lula em virtude do ex-presidente do Brasil ter influenciado o presidente de outro país no exercício de sua função. Como a doação feita pela ARG seria um pagamento, o registro do valor como uma doação é ideologicamente falso e trata-se apenas de uma dissimulação da origem do dinheiro ilícito, e, portanto, configura crime de lavagem de dinheiro. Um dos sócios do grupo, pai do denunciado, Adolfo Geo morreu em um acidente de avião no dia 26 de novembro em Minas Gerais. Adolfo não tinha sido denunciado. O caso envolvendo o Instituto Lula foi remetido à Justiça Federal de São Paulo por ordem do então titular da Operação Lava Jato, Sergio Moro. O inquérito tramita na 2ª Vara Federal de São Paulo, especializada em crimes financeiros e lavagem de dinheiro, que analisará a denúncia do MPF. Defesa de Lula Segundo a defesa de Lula, a denúncia “é mais um capítulo do ‘lawfare’ que vem sendo imposto a Lula desde 2016”. “A denúncia pretendeu, de forma absurda e injurídica, transformar uma doação recebida de uma empresa privada pelo Instituto Lula, devidamente contabilizada e declarada às autoridades, em tráfico internacional de influência (CP, art. 337-C) e lavagem de dinheiro (Lei n. 9.613/98, art 1º. VIII)”, disse Zanim Martins. “A acusação foi construída com base na retórica, sem apoio em qualquer conduta específica praticada pelo ex-presidente Lula, que sequer teve a oportunidade de prestar qualquer esclarecimento sobre a versão da denúncia antes do espetáculo que mais uma vez acompanha uma iniciativa do Ministério Público – aniquilando as garantias constitucionais da presunção de inocência e do devido processo legal”, acrescentou. O advogado finaliza a nota dizendo esperar que “a Justiça Federal de São Paulo rejeite a denúncia diante da manifesta ausência de justa causa para a abertura de uma nova ação penal frívola contra Lula”.

Classificados

Mundo

China confirma suspensão de tarifas a veículos e peças americanos

China confirma suspensão de tarifas a veículos e peças americanos

access_time15/12/2018 08:55

A China confirmou a suspensão de tarifas aos automóveis e peças de substituição fabricados nos Estados Unidos a partir do dia 1º de janeiro, uma medida que faz parte do acordo de trégua à guerra comercial fechado há poucos dias pelos presidentes Donald Trump e Xi Jinping. A imprensa local replicou neste sábado (15) o anúncio feito na sexta-feira (14) à noite pelo Ministério de Finanças do país sobre a queda temporária para 15% - atualmente são 40% - dos impostos que a China cobra no setor dos EUA. "A imposição de tarifas aos automóveis e partes originais dos Estados Unidos é um movimento forçoso contra o protecionismo comercial americano, por isso que a suspensão das tarifas é uma medida concreta para implementar o consenso dos dois chefes de estado", escreveu o ministério. Em julho, a China reduziu as tarifas aos veículos importados para 15%, mas mais tarde elevou a taxa para 40% em represália às tarifas punitivas de Washington sobre produtos chineses. O governo vai suspender assim durante três meses a imposição de tarifas que afetarão 211 linhas de produtos como veículos híbridos de passageiros, caminhões com motor diesel, chassis e cintos de segurança dos assentos, entre outros. "Esperamos que as duas partes, de acordo com o consenso dos dois chefes de estado, se baseiem na premissa do respeito mútuo, da igualdade mútua e da fidelidade, das palavras e dos fatos, e intensifiquem as consultas para eliminar todos os aumentos de tarifas e desenvolverem ativamente uma situação equilibrada, inclusiva e benéfica para todos", acrescentou o ministério. Nesta semana, os Estados Unidos também confirmaram as primeiras compras significativas de soja americana pela China desde o início da imposição mútua de tarifas sobre produtos importados entre os dois países, em outro sinal de que a disputa pode estar próxima do fim.