Camara Peixoto
Notícias recentes
Tempestade tropical Krosa pode atingir o Japão até quinta-feira

Tempestade tropical Krosa pode atingir o Japão até quinta-feira

access_time13/08/2019 07:56

Meteorologistas do Japão informam hoje (13) que a forte tempestade tropical Krosa se aproxima do oes

Dois homens morrem depois de ingerirem mistura de leite com etanol em MT, diz polícia

Dois homens morrem depois de ingerirem mistura de leite com etanol em MT, diz polícia

access_time29/05/2018 07:12

Dois homens morreram depois de ingerir etanol misturado com leite, em Nobres, a 552 km de Peixoto de

Governo Bolsonaro censura comédia de 2017 alegando apologia à pedofilia

Governo Bolsonaro censura comédia de 2017 alegando apologia à pedofilia

access_time15/03/2022 20:55

O Ministério da Justiça censurou a comédia "Como se tornar o pior aluno da escola", de 2017, alegand

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata
Alíquota do ICMS da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso - Foto por: Divulgação

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Pacote de redução de impostos do Governo de MT traz justiça econômica para a sociedade, afirma presidente do Sindenergia

access_time09/12/2021 08:49

A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.





Por: Érika Oliveira | Secom-MT

Outras notícias

Comentários