Spigreen
Notícias recentes
Programa de proteção para testemunhas e defensores de direitos humanos é implantado

Programa de proteção para testemunhas e defensores de direitos humanos é implantado

access_time03/08/2019 09:31

Por meio de um decreto, o governo de Mato Grosso implantou o Programa Estadual de Proteção aos Defen

Roberto Castello Branco aceita convite para presidir Petrobras

Roberto Castello Branco aceita convite para presidir Petrobras

access_time19/11/2018 08:12

A assessoria do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta segunda-feira (19) que o

Corpo de suposto morador de Peixoto está no IML de Cuiabá

Corpo de suposto morador de Peixoto está no IML de Cuiabá

access_time04/06/2018 15:02

Sebastião Ferreira de Sousa faleceu na manhã de sábado (02) e seu corpo está no IML de Cuiabá. O

Agente penitenciário é preso em operação suspeito de lavagem de dinheiro para facção
Red Money (Foto: Polícia Civil de MT/Assessoria)

Agente penitenciário é preso em operação suspeito de lavagem de dinheiro para facção

Agente seria representante de uma empresa que era usada pela facção criminosa para lavagens de dinheiro. Segundo investigação, 'taxa de segurança' ajudava a sustentar a quadrilha

access_time09/08/2018 08:52

Um agente penitenciário foi preso nessa quarta-feira (8) na Operação Red Money, realizada pela Polícia Civil em Mato Grosso. Ele foi preso em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e estava entre os 83 mandados de prisão que foram cumpridos.

A operação tinha objetivo prender membros da organização criminosa que participavam de um esquema criminoso de arrecadação de dinheiro e que era comandado por lideranças de dentro das penitenciárias.

Além do agente, identificado como Silvano Oliveira Lima, uma mulher – Rosemar Dalmolin, também foi presa em Sorriso. Segundo o delegado Nilson Farias, os dois seriam representantes de uma empresa que era usada pela facção criminosa para supostas lavagens de dinheiro.

De acordo com o delegado, apenas Rosemar teria dito que não era mais a dona da conta associada à facção. Além de documentos, a polícia apreendeu um veículo que pode ser fruto do esquema criminoso.

A facção movimentou R$ 52 milhões no período de um ano e meio, segundo a Polícia Civil. O grupo conseguiu captar dinheiro por meio de pagamento de mensalidade de membros e traficantes, além de taxas de 'segurança' em comércios.

Outra fonte de renda vem de crimes articulados de dentro dos presídios, como roubos e furtos de veículo e agências bancárias, tráfico de drogas e estelionato.





Por: Centro América FM

Outras notícias

Comentários