anuncie aqui
Notícias recentes
Fachin nega quebra de sigilo telefônico de Temer, mas autoriza medida para ministros Padilha e Moreira

Fachin nega quebra de sigilo telefônico de Temer, mas autoriza medida para ministros Padilha e Moreira

access_time07/06/2018 17:55

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, negou a quebra do sigilo telefônico do pr

Ônibus explode no centro histórico de Roma

Ônibus explode no centro histórico de Roma

access_time08/05/2018 14:01

Um ônibus explodiu nesta terça-feira (8) no centro histórico de Roma, na Itália, aparentemente por u

Fase conclusiva das obras de infraestrutura urbana no Bairro ZC1-003 em Matupá

Fase conclusiva das obras de infraestrutura urbana no Bairro ZC1-003 em Matupá

access_time09/01/2019 09:15

Depois de executar as obras de drenagem e pavimentação asfáltica de ruas do ZC1-003, a Prefeitura de

ALMT não localiza 4 carros do órgão e abre procedimento para investigar servidor
ALMT abriu procedimento para investigar servidor após sumiço de carros
Foto por: JL Siqueira/ALMT

ALMT não localiza 4 carros do órgão e abre procedimento para investigar servidor

Segundo a ALMT, veículos estariam em municípios diversos, sem localização exata. Uma comissão do órgão deve investigar o servidor que era responsável pelos carros.

access_time16/05/2018 18:54

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) instaurou um procedimento administrativo para investigar um servidor pelo sumiço de quatro veículos da frota. A determinação consta em uma portaria publicada no Diário Oficial Eletrônico que circula nesta quarta-feira (16).

De acordo com o documento, os veículos que pertencem ao órgão não foram localizados no acervo. Os bens estão sob a guarda e responsabilidade do servidor desde 29 de dezembro de 2014.

A ALMT chegou a notificar o servidor para que ele fizesse a restituição dos bens não encontrados.

No ano passado, um documento apontou que os veículos “estariam em municípios diversos, sem localização exata e sem a referência de qual servidor estaria com a guarda dos bens”.

Segundo a portaria, o servidor deve responder por improbidade administrativa e, como pena, pode perder o cargo.

Na determinação, a ALMT cria uma Comissão de Processo Administrativo para apurar a irregularidade.

O grupo, composto por outros três servidores, tem o prazo de 60 dias para a conclusão dos trabalhos. O prazo pode ser prorrogado pelo mesmo período.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários