anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Mais de 60% das crianças ainda não foram vacinadas contra a pólio

Mais de 60% das crianças ainda não foram vacinadas contra a pólio

access_time27/10/2020 09:16

Desde o início da Campanha Nacional de Vacinação, no dia 5 de outubro até segunda-feira (26), apenas

Autor de homicídio de ex-namorado é preso pela Polícia Civil na zona rural de Novo Mundo

Autor de homicídio de ex-namorado é preso pela Polícia Civil na zona rural de Novo Mundo

access_time28/10/2021 08:13

A Polícia Civil em Guarantã do Norte prendeu nesta quarta-feira (27.10) o autor do homicídio que vit

Site e aplicativo continuam fora do ar após invasão de hackers em MT e Energisa recomenda canal do WhatsApp

Site e aplicativo continuam fora do ar após invasão de hackers em MT e Energisa recomenda canal do WhatsApp

access_time04/05/2020 10:47

O site e outras plataformas digitais de atendimento da concessionária Energisa continuam fora do ar

Após ciclone, Moçambique enfrenta risco de surto de cólera

Após ciclone, Moçambique enfrenta risco de surto de cólera

access_time26/03/2019 06:55

Pouco mais de 10 dias depois de o Ciclone Idai passar por Moçambique, o país está sob alerta do cólera. Segundo as autoridades estrangeiras, há vários registros de mortes em decorrência da doença nos centros de acolhimentos.

Na região da cidade de Beira, a mais atingida pelo desastre, há 228 mil pessoas abrigadas em ambientes sem condições de higiene. A Cruz Vermelha Internacional advertiu que Moçambique enfrenta momento delicado e cercado de ameaças. A comida é escassa.

O cólera, o tifo e a malária são doenças transmitidas através da ingestão de água ou alimentos contaminados e alastram-se em ambientes de pouca higiene.

Pelos últimos dados, morreram 446 pessoas em Moçambique. Para as agências humanitárias, o desastre em Moçambique tem semelhanças com as tragédias humanitárias do Iêmen e da Síria.

Prevenção
A Cruz Vermelha informou que adotou uma série de medidas para impedir os surtos no país, inclusive com a instalação de dois hospitais de campo de emergência seguirão. Os hospitais podem fornecer serviços médicos, cirurgias de emergência, bem como internação e atendimento ambulatorial para pelo menos 30 mil pessoas.

Um vôo de carga deve desembarcar, nos próximos dias, em Moçambique com voluntários e água tratada para atender 15 mil pessoas por dia.

Fundos de emergência devem fornecer assistência para cerca de 200 mil pessoas, enviando água, saneamento e higiene, abrigo, saúde, meios de subsistência e serviços de proteção nos próximos 24 meses.

O ciclone Idai afetou mais de 1,85 milhão de pessoas em Moçambique, de acordo com as Nações Unidas. A estimativa é que 483 mil pessoas tenham sido deslocadas pelas inundações, que destruíram e submergiram uma área de mais de 3mil quilômetros quadrados.

*Com informações da Cruz Vermelha Internacional e da RTP, emissora pública de televisão de Portugal.





Por: Siphiwe Sibeko/ Reuters/Direitos Reservados

Outras notícias

Comentários