ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Mundo deve ter ondas de calor a cada dois anos

Mundo deve ter ondas de calor a cada dois anos

access_time28/07/2018 07:06

Quase todo o mundo adora os dias ensolarados e gosta de reclamar quando chove. No entanto, o céu azu

Polícia prende 9 pessoas e apreende 10 veículos em operação Lei Seca em Peixoto, Matupá e Guarantã

Polícia prende 9 pessoas e apreende 10 veículos em operação Lei Seca em Peixoto, Matupá e Guarantã

access_time31/05/2021 10:49

A . De acordo com o balanço da PM, 9 pessoas presas por embriaguez ao volante, 10 veículos apreendid

Marina Ruy ‘assume’ romance com deputado Guilherme Mussi

Marina Ruy ‘assume’ romance com deputado Guilherme Mussi

access_time22/06/2021 15:17

Desde o início do ano, rumores surgiram na internet de que Marina Ruy Barbosa e o deputado Guilherme

Arqueólogos encontram materiais pré-coloniais que provam que ancestrais habitaram em MT há 9 mil anos

Arqueólogos encontram materiais pré-coloniais que provam que ancestrais habitaram em MT há 9 mil anos

Região tem um grande número de sítios arqueológicos já registrados, onde são encontrados vários vestígios de cerâmicas, gravuras rupestres e fósseis de ancestrais

access_time14/07/2021 17:25

Arqueólogos do Museu do Vale do Arinos encontraram materiais pré-colonias, no fim de junho deste ano, que provam que ancestrais humanos habitaram em Juara, a 694 km de Cuiabá, há, pelo menos, nove mil anos. A região tem um grande número de sítios arqueológicos já registrados, onde são encontrados vários vestígios de cerâmicas, gravuras rupestres e fósseis.

De acordo com o coordenador da Câmara Setorial de Arqueologia do Museu, Saulo Augusto de Moraes, é muito comum moradores da região encontrarem sítios arqueológicos de diferentes tipos.

Alguns já foram registrados pelo museu, que tem um acervo de cerâmicas, fósseis, líticos polidos - rochas e minerais utilizados como os primeiros materiais pelo homem de diversas formas, como instrumentos de caça e confecção de símbolos religiosos - e gravuras rupestres.

Recentemente, os arqueólogos da região encontraram os líticos polidos. Saulo explicou que esses achados são provas materiais de que ancestrais habitaram a região.

Os arqueólogos também encontraram gravuras rupestres que sugerem a existência de grupos humanos de viveram na região há quase 10 mil anos, considerando estudos arqueológicos realizados em outras regiões que possuem gravuras semelhantes.

Essas descobertas têm o objetivo de localizar, proteger e difundir o patrimônio arqueológico regional e do estado.

“É sempre gratificante fazer parte desse trabalho, uma vez que a função social do Museu do Vale do Arinos é proteger e difundir o patrimônio histórico e cultural regional”, pontuou.

O museu também já registrou um sítio de gravuras rupestres, que são materiais de superfície e não precisam de escavação. Encontraram também um sítio de pinturas rupestres. Agora, estão em fase inicial de catalogação para aprofundamento de estudos arqueológicos.

O coordenador contou que os pesquisadores possuem um fóssil de preguiça gigante, mas que para ter os estudos científicos mais aprofundados, o museu tem poucos recursos financeiros.

O Museu do Vale do Arinos é uma instituição pública municipal de Juara, inaugurada em 2018. A gestão é compartilhada com a Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) e com o Instituto Ecumam.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários