Spigreen
Notícias recentes
Agências do INSS retomam atendimentos presenciais por agendamento em MT

Agências do INSS retomam atendimentos presenciais por agendamento em MT

access_time11/09/2020 08:15

As agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vão retomar as atividades presenciais no e

Dia do Idoso: envelhecer com qualidade de vida é possível

Dia do Idoso: envelhecer com qualidade de vida é possível

access_time01/10/2019 08:12

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional do Idoso (hoje, 1º de outub

Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

access_time21/03/2019 17:02

Após o duplo ataque a mesquitas na Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern anunciou que ar

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel

access_time28/09/2019 09:45

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde de sexta-feira (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos. 

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.





Por: Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil

Outras notícias

Comentários