ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Hospital Regional de Peixoto de Azevedo vem recebendo investimentos de 7 milhões de reais

Hospital Regional de Peixoto de Azevedo vem recebendo investimentos de 7 milhões de reais

access_time17/05/2018 09:05

O Hospital Regional de Peixoto vem recebendo muitas melhorias como a reforma geral, ampliação e aqui

Avião cai e explode próximo a Novo Progresso no Pará; 3 mortos

Avião cai e explode próximo a Novo Progresso no Pará; 3 mortos

access_time07/05/2021 06:09

Três pessoas morreram, hoje, na queda de um avião monomotor, na região Oeste do Pará. O acidente oco

Itamaraty vai pedir liberação de documentos da CIA

Itamaraty vai pedir liberação de documentos da CIA

access_time14/05/2018 07:26

O Ministério das Relações Exteriores vai pedir ao governo dos Estados Unidos a liberação dos documen

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel

access_time28/09/2019 09:45

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde de sexta-feira (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos. 

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.





Por: Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil

Outras notícias

Comentários