Spigreen
Notícias recentes
Lei que dá prioridade a órfãos em programas habitacionais é sancionada em MT

Lei que dá prioridade a órfãos em programas habitacionais é sancionada em MT

access_time08/11/2019 10:55

Uma lei que dá prioridade aos órfãos em programas habitacionais foi sancionada pelo Governo de Mato

Ações em alta e dólar caindo: o mercado escolheu o lado de Bolsonaro?

Ações em alta e dólar caindo: o mercado escolheu o lado de Bolsonaro?

access_time04/10/2018 08:01

"A Bolsa teve o maior giro do ano nesta quarta-feira (3), com alta de 2,04%, chegando a 83.273 ponto

Comunicado aos beneficiários do Bolsa Família de Peixoto de Azevedo

Comunicado aos beneficiários do Bolsa Família de Peixoto de Azevedo

access_time28/05/2019 08:17

Todas as famílias que são beneficiárias do Programa Bolsa Família em Peixoto de Azevedo que ainda nã

Bem alienado fiduciariamente não pode ser penhorado, afirma STJ

Bem alienado fiduciariamente não pode ser penhorado, afirma STJ

access_time11/03/2020 09:55

O bem alienado fiduciariamente não pode ser penhorado em execução promovida por terceiro, uma vez que o bem alienado não integra o patrimônio do devedor. Nada impede, contudo, a constrição dos direitos decorrentes do contrato de alienação fiduciária. 

A decisão, da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, foi destacada pela Secretaria de Jurisprudência do STJ na ferramenta Pesquisa Pronta, que divulga o entendimento do tribunal sobre temas jurídicos relevantes, permitindo consultas em tempo real.

No caso, um condomínio ingressou com execução de título extrajudicial por causa de uma dívida de cerca de R$ 3 mil. Nela, pediu que fosse penhorado o imóvel gerador do débito. Porém, o pedido foi negado pois o imóvel foi dado em alienação fiduciária a um banco como garantia em contrato de empréstimo. Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, enquanto precária a posse do devedor, somente os direitos reais de aquisição podem ser penhorados.

Inconformado, o condomínio recorreu, mas a 4ª Turma do STJ manteve a decisão do TJ-SP, que está em conformidade com a jurisprudência da corte. "Não se admite a penhora do bem alienado fiduciariamente em execução promovida por terceiros contra o devedor fiduciante, haja vista que o patrimônio pertence ao credor fiduciário, permitindo-se, contudo, a constrição dos direitos decorrentes do contrato de alienação fiduciária", afirmou o relator, ministro Raul Araújo.

REsp 1.819.186





Por: Tadeu Rover / Revista Consultor Jurídico

Outras notícias

Comentários