anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Venezuela é o 2° país mais pobre do mundo, mostra estudo

Venezuela é o 2° país mais pobre do mundo, mostra estudo

access_time07/06/2023 06:40

A Venezuela é o segundo país mais pobre do mundo, de acordo com um estudo divulgado há duas semanas

Governador do Acre e sua família são alvos de operação contra corrupção e lavagem de dinheiro

Governador do Acre e sua família são alvos de operação contra corrupção e lavagem de dinheiro

access_time09/03/2023 09:19

A Polícia Federal e a Procuradoria-feral da República (PGR), com apoio da Controladoria-geral da Uni

Sinfra inicia trabalho para implantação de telas de contenção na região do Portão do Inferno

Sinfra inicia trabalho para implantação de telas de contenção na região do Portão do Inferno

access_time04/01/2024 15:48

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) iniciou, na manhã desta quinta-feir

Big techs negam relação com artigo do Telegram contra PL 2630
Em nota divulgada hoje, o Google afirma que a citação feita pelo Telegram ocorreu sem autorização da empresa. | Foto: Foto: Divulgação

Big techs negam relação com artigo do Telegram contra PL 2630

Google e Meta afirmam que não foram consultados sobre a publicação

access_time10/05/2023 06:32

O Google e a Meta — dona do WhatsApp, do Instagram e do Facebook — negaram qualquer relação com o artigo publicado pelo Telegram Brasil na terça-feira 9, contra o Projeto de Lei (PL) 2630/2020, conhecido como PL das Fake News — a nota também foi enviada a usuários do aplicativo no Brasil.

Google afirma que a citação feita pelo Telegram ocorreu sem autorização da empresa. “No texto, somos citados sem qualquer autorização e não conhecemos seu conteúdo”, justifica.

Já a Meta declarou que “refuta” o uso de seu nome pelo Telegram e nega as alegações no texto.

Publicação do Telegram Brasil

O Telegram Brasil publicou um artigo com críticas ao PL 2630. No texto, a empresa lista uma série de argumentos contra o que pode “matar a internet moderna”. “Caso seja aprovado, empresas como o Telegram podem ter de deixar de prestar serviços no Brasil”, advertiu o serviço de mensagens instantâneas.

A empresa ainda afirma que o projeto é “desnecessário” e aconselha os usuários da plataforma a procurarem deputados federais que possam trabalhar para  alterar a proposição.

Google já tinha agido de maneira semelhante

Telegram
Foto: Divulgação/Google

Em 1° de maio, o Google se manifestou de maneira contrária ao avanço do PL 2630. A plataforma incluiu, em sua página principal, um link para um artigo chamado O PL das Fake News pode aumentar a confusão sobre o que é verdade ou mentira no Brasil”.

No dia seguinte à publicação do texto, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), determinou que o Google teria de sinalizar a informação como publicidade. Logo depois, a empresa retirou o texto da página principal.





Por: Redação Oeste

Outras notícias

Comentários