anuncie aqui
Notícias recentes
Borracheiro morre após explosão de pneu de caminhão

Borracheiro morre após explosão de pneu de caminhão

access_time06/08/2018 16:10

A fatalidade ocorreu na manhã desta segunda-feira (06), em uma borracharia localizada no Bairro Alto

Gefron apreende mais de meia tonelada de drogas em 51 dias

Gefron apreende mais de meia tonelada de drogas em 51 dias

access_time25/02/2019 08:22

A atuação permanente dos policiais do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) alcançou res

Bombardeio contra ônibus com crianças deixa mortos e feridos no Iêmen

Bombardeio contra ônibus com crianças deixa mortos e feridos no Iêmen

access_time09/08/2018 08:51

Dezenas de pessoas foram mortas e feridas nesta quinta-feira (9) em um bombardeio da coalizão árabe

Bolsonaro discute revisão de contratos e exonerações com ministros

Bolsonaro discute revisão de contratos e exonerações com ministros

Presidente reunirá no Planalto o Conselho de Governo, formado por ele, Mourão e todos os ministros. Na reunião anterior, foi anunciado 'pente-fino' em conselhos e revisão de contratos

access_time08/01/2019 08:11

O presidente Jair Bolsonaro comandará nesta terça-feira (8) no Palácio do Planalto a segunda reunião ministerial do novo governo.

A expectativa é que, na reunião, os ministros avancem nas discussões sobre:

  • propostas que serão implementadas nas próximas semanas;
  • revisão de contratos, exonerações e liberações de recursos;
  • revisão de normas burocráticas para dar mais eficiência ao governo.

Segundo a colunista Andréia Sadi, no encontro também, o presidente deve cobrar de cada ministro as metas dos próximos 100 dias.

Bolsonaro assumiu a Presidência há uma semana e pretende reunir sempre às terças-feiras o Conselho de Governo, composto por ele, pelo vice-presidente Hamilton Mourão, pelos ministros de Estado e pelo chefe de gabinete da Presidência.

Reunião anterior
A primeira reunião ministerial do governo foi realizada no último dia 3 com a presença dos 21 ministros empossados e de Roberto Campos Neto, indicado para o Banco Central.

Após o encontro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou uma série de medidas:

  • Revisão em cada ministério das liberações de recursos e das exonerações realizadas nos últimos 30 dias de 2018;
  • Preenchimento dos cargos de segundo e terceiro escalões por meio de "critérios técnicos";
  • Reunir nas capitais as estruturas dos ministérios nos estados, a fim de se permitir a venda de imóveis federais (cerca de 700 mil);
  • Revisão de todos os contratos de locação da União;
  • Revisão e "pente-fino" em todos os conselhos que atuam junto à administração direta (órgãos do Executivo).

Movimentação 'incomum'
Em entrevista ao final da reunião, Onyx Lorenzoni afirmou que houve uma "movimentação incomum" de exonerações, indicações e liberação de recursos nos últimos 30 dias da gestão Temer.

Antecessor de Onyx, o ex-ministro da Casa Civil Eliseu Padilha respondeu, afirmando em nota que não houve "nenhuma anomalia".

Exonerações
Segundo Onyx, na primeira reunião ministerial, Bolsonaro autorizou os ministros a repetirem o ato da Casa Civil que exonerou funcionários em cargos comissionados ou com funções gratificadas a fim de promover o que ele chamou de "despetização" do governo.

A Casa Civil exonerou cerca de 320 funcionários na semana passada. Os exonerados interessados em retornar passarão por uma "avaliação" para aferir perfil e como cada um foi indicado para o cargo.

Embora Onyx tenha falado em "despetização" do governo, numa referência ao PT, os funcionários do governo Dilma Rousseff foram orientados pelo partido a deixar os cargos ainda em maio de 2016, quando Michel Temer (MDB) assumiu o governo, em razão do impeachment.

Além disso, o próprio governo Temer buscou exonerar pessoas vinculadas ao governo Dilma.





Por: G1

Outras notícias

Comentários