Kurupí
Notícias recentes
De janeiro a julho, quase 1,5 mil mil armas são apreendidas em MT

De janeiro a julho, quase 1,5 mil mil armas são apreendidas em MT

access_time07/08/2019 09:03

Entre os meses de janeiro e julho deste ano, a Polícia Militar apreendeu em Mato Grosso quase 1,5 mi

Dia 25 de agosto tem Mutirão Suas na Comunidade

Dia 25 de agosto tem Mutirão Suas na Comunidade

access_time22/08/2018 07:36

A Secretaria Municipal de Assistência Social através do CRAS com a campanha “Suas na Comunidade” em

Mais de 300 cadernos com anotações do crime organizado e 50 armas artesanais são apreendidos em presídio de MT

Mais de 300 cadernos com anotações do crime organizado e 50 armas artesanais são apreendidos em presídio de MT

access_time17/09/2019 08:13

A operação realizada na Penitenciária Central do Estado (PCE) no último mês apreendeu 352 cadernos c

Cármen Lúcia manda TRF4 soltar presos por condenação em 2ª instância
Nelson Jr./SCO/STF

Cármen Lúcia manda TRF4 soltar presos por condenação em 2ª instância

TRF4 é responsável pela execução das penas de condenados na Lava Jato

access_time23/11/2019 09:06

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia determinou sexta-feira (22) que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) mande soltar todas as pessoas que foram presas por terem condenação confirmada pela segunda instância da Justiça Federal do sul do país. O TRF4 é o tribunal responsável pelas execuções das penas dos condenados na Operação Lava Jato no Paraná.

De acordo com a decisão da ministra, o TRF deve cumprir a decisão da Corte, tomada no dia 7 de novembro, na sessão que anulou o entendimento anterior, que autorizava a prisão em segunda instância. Cármen Lúcia votou a favor da prisão antecipada, mas entendeu que a decisão do plenário deve prevalecer.

"Concedo parcialmente a ordem apenas para determinar ao Tribunal Regional Federal da Quarta Região analise, imediatamente, todas as prisões decretadas por esse Tribunal com base na sua Súmula n. 122 e a coerência delas com o novo entendimento deste Supremo Tribunal, colocando-se em liberdade réu cuja prisão tiver sido decretada pela aplicação da jurisprudência, então prevalecente e agora superada", decidiu a ministra.

Na decisão, a ministra também afirmou que os condenados deverão ser soltos somente se estiverem presos exclusivamente com base no entendimento superado sobre a segunda instância. Se a prisão foi determinada por outro motivo, a soltura não ocorrerá.

Com base no entendimento anterior do STF, que permitia a prisão, o TRF editou uma norma interna, a Súmula 122, autorizando a decretação da prisões pelos juízes do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.





Por: André Richter – Repórter da Agência Brasil

Outras notícias

Comentários