anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Trezentos quilos de dinamite apreendidos em garimpo onde ocorreu mortes são detonados pela Polícia Civil

Trezentos quilos de dinamite apreendidos em garimpo onde ocorreu mortes são detonados pela Polícia Civil

access_time25/08/2021 18:31

Uma carga de aproximadamente 300 quilos de emulsão de dinamite foi detonada pela equipe da Gerência

Senado aprova mudanças nas regras de pedágio em rodovias federais

Senado aprova mudanças nas regras de pedágio em rodovias federais

access_time11/03/2021 08:53

O Senado aprovou ontem (10) um projeto de lei que prevê a cobrança de  pedágio proporcional ao uso d

Governo vai a Shanghai buscar novos mercados para carne mato-grossense

Governo vai a Shanghai buscar novos mercados para carne mato-grossense

access_time14/05/2019 08:58

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, e empresários do setor de proteí

Celso de Mello repassa à PGR pedidos de apreensão de celulares de Bolsonaro e Carlos
Ministro Celso de Mello durante sessão no STF - REUTERS/Ueslei Marcelino

Celso de Mello repassa à PGR pedidos de apreensão de celulares de Bolsonaro e Carlos

access_time22/05/2020 13:48

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à Procuradoria-Geral da República três notícias-crimes apresentadas por parlamentares e partidos políticos que pedem medidas no inquérito que apura uma suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal, incluindo o depoimento do presidente e a apreensão do seu celular e de seu filho Carlos.

Celso de Mello é o relator do inquérito aberto logo que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro deixou o governo acusando o presidente de tentar interferir na PF por ter interesse em inquéritos que podem envolver sua família.

As notícias-crimes a serem analisadas agora pela PGR foram apresentadas pela deputada federal Gleisi Hoffman (PT-PR) e pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), e pelas bancadas do PDT, PSB E PV.

Em sua conta no Twitter, Carlos Bolsonaro reagiu com ironia ao pedido, criticando a velocidade da ação do ministro, enquanto outros processos contra políticos estariam parados há anos.

“Que crime teria cometido para tamanha velocidade e abuso? Nenhum. A narrativa do sistema continua em pleno vapor (sic)”, escreveu.

O envio de pedidos do tipo para análise da PGR dentro de uma investigação é praxe. Em seu despacho, o ministro ressalta o “dever jurídico do Estado de promover a apuração da autoria e da materialidade dos fatos delituosos narrados por ‘qualquer pessoa do povo’.

A PGR propôs a investigação sobre o caso, mas em outras oportunidades dentro do processo o procurador-geral da República, Augusto Aras, foi criticado por tomar posições favoráveis à defesa de Jair Bolsonaro. Também em outros pedidos apresentados por parlamentares e partidos, a PGR tem se manifestado contrária, alegando que a competência sobre os pedidos de investigação são da Procuradoria.





Por: Reuters

Outras notícias

Comentários