Banner Outras
Notícias recentes
Policiais que impediram suicídio em Matupá receberam Moção de Aplausos da Câmara Municipal

Policiais que impediram suicídio em Matupá receberam Moção de Aplausos da Câmara Municipal

access_time16/10/2018 09:09

A Sessão da Câmara Municipal de Matupá dessa segunda-feira (15-10), foi marcada por homenagem a três

Vendas do comércio caem 0,6% de abril para maio

Vendas do comércio caem 0,6% de abril para maio

access_time12/07/2018 08:56

O volume de vendas do comércio varejista nacional recuou 0,6% de abril para maio deste ano. A queda

Guerra comercial com China está “em suspenso” após acordo com EUA

Guerra comercial com China está “em suspenso” após acordo com EUA

access_time21/05/2018 07:29

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, afirmou neste domingo que o governo do p

China nega conversa com oposição ao governo de Maduro
Nicolás Maduro e Juan Guaidó disputam a legitimidade do poder na Venezuela — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

China nega conversa com oposição ao governo de Maduro

Reportagem de jornal americano dizia que chineses estariam preocupados com projetos envolvendo petróleo na Venezuela e com quase 20 bilhões de dólares que Caracas deve a Pequim

access_time13/02/2019 15:33

A China negou nesta quarta-feira (13) ter mantido conversas com a oposição ao governo de Nicolás Maduro para proteger seus investimentos no país, segundo a Reuters.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, classificou como falsa uma reportagem do “Wall Street Journal” afirmava que diplomatas conversaram em Washington com representantes de Juan Guaidó, o líder da oposição que se autodeclarou presidente interino.

De acordo com a reportagem, os chineses estariam preocupados com projetos envolvendo petróleo na Venezuela e com quase 20 bilhões de dólares que Caracas deve a Pequim.

"Na verdade a reportagem é falsa", disse Hua Chunying a jornalistas que lhe perguntaram sobre o artigo.

Os Estados Unidos, o Brasil e outros 40 países reconheceram Guaidó como chefe de Estado legítimo da Venezuela, mas Nicolás Maduro segue no controle das instituições. Com o apoio das Forças Armadas, da Rússia e da China, ele diz ser alvo de uma tentativa de golpe patrocinada pelos Estados Unidos e se recusa a convocar novas eleições.

Apoio russo
Na terça-feira (12), a Rússia afirmou que está pronta para facilitar o início de um diálogo entre Maduro e a oposição. Entretanto, o governo russo advertiu os Estados Unidos contra intervenções em assuntos internos de Caracas.

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse ao secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que Washington deve evitar qualquer interferência, incluindo militar, em assuntos internos da Venezuela.

Moscou tem investido bilhões de dólares na economia e na produção de petróleo da Venezuela. Além disso, em dezembro, bombardeios russos passaram quase uma semana em território venezuelano, dias depois de um encontro em Maduro e Vladimir Putin na capital da Rússia.

Nova manifestação

Ainda na terça, os venezuelanos insatisfeitos com o rumo do governo voltaram às ruas atendendo a uma nova convocação de Guaidó. Os opositores queriam incentivar os militares a permitir a entrada da ajuda humanitária internacional que está parada na Colômbia após a ponte fronteiriça de Tienditas ser bloqueada.





Por: G1

Outras notícias

Comentários