Kurupí
Notícias recentes
MEC prorroga prazo de inscrição no Sisu até domingo

MEC prorroga prazo de inscrição no Sisu até domingo

access_time24/01/2019 18:38

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou as inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até as

Cura para calvície pode estar próxima, mostra novo estudo

Cura para calvície pode estar próxima, mostra novo estudo

access_time09/05/2018 22:41

A calvície afeta cerca de metade dos homens até os 50 anos de idade, segundo a Organização Mundial d

PlayStation 4 alcança 100 milhões de unidades vendidas

PlayStation 4 alcança 100 milhões de unidades vendidas

access_time30/07/2019 11:18

A Sony acaba de anunciar que, depois de ficar seis anos no mercado, as vendas do PlayStation 4 ultra

Conheça as obrigações do microempreendedor individual
Cartaz Microempreendedor individual (MEI) na Feira do Empreendedor, promovida pelo Sebrae em São Paulo (Foto: Luísa Melo/G1)

Conheça as obrigações do microempreendedor individual

MEI precisa pagar contribuição mensal e tem que declarar, anualmente, o faturamento do negócio

access_time17/05/2018 07:14

O Microempreendor Individual (MEI) é um regime tributário criado para facilitar a vida do pequeno empresário e estimular a formalização. Mas ser MEI não quer dizer ficar livre de impostos ou mesmo de prestar contas para o Fisco. Uma vez formalizado, o MEI tem obrigações.

Obrigações tributárias e trabalhistas

As principais obrigações do MEI são pagar a contribuição mensal e declarar anualmente para a Receita Federal quanto faturou.

  1. Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS): é o documento pelo qual o MEI recolhe a sua contribuição mensal. Isso pode ser feito por débito automático, boleto bancário ou pagamento online.
  2. Declarações Anuais de Faturamento (DASN-SIMEI): ele precisa informar o Fisco quanto faturou anualmente por meio desse documento, disponível do Portal do Empreendedor. O atraso na entrega da declaração gera multa no valor mínimo de R$ 50. A multa é gerada assim que a declaração é enviada.

A contribuição do MEI é de R$ 47,70 por mês, que pode ser acrescida de R$ 1, R$ 5 ou R$ 6, conforme o ramo de atividade exercida.

O MEI pode ter apenas um funcionário contratado. Se tiver um empregado, ele precisa cumprir as obrigações trabalhistas. As principais delas são:

  • Recolher mensalmente o INSS;
  • Recolher mensalmente o FGTS;
  • Apresentar anualmente a Relação Anual de Empregados - RAIS, ao Ministério do Trabalho e Emprego.

Gestão da microempresa

Os especialistas recomendam que o MEI organize suas contas e separe suas finanças pessoais das despesas e receitas da empresa.

“As pessoas acham que ser MEI não é ser empresário. Mas não, o MEI é uma categoria de empresa como outra qualquer. Então, você tem que ter um controle da sua gestão”, alerta a analista do Sebrae/SP, Ana Roberta Amarante.

O controle financeiro deve ser feito diariamente, conforme sugere a também analista do Sebrae, Mirella Condé. Como o MEI não é obrigado a contratar um contador para lhe fazer o seu controle contábil, ela recomenda que o próprio empreendedor registro todo o valor que entra e que sai do seu negócio.

“Separar as finanças da pessoa física da pessoa jurídica é muito importante para qualquer negócio dar certo, especialmente para aquele que começa um negócio por necessidade e às vezes não tem uma noção muito clara de como se faz essa gestão”, orienta Mirella.

Uma recomendação importante ao MEI é manter todas as notas fiscais de suas compras e vendas arquivadas pelo prazo cinco anos, a contar da data de emissão.

Cruzamento de dados

O MEI não é obrigado a emitir nota fiscal quando vende um produto ou presta serviço a pessoa física, somente quando o cliente é outra empresa ou órgão público. Isso não significa que ele possa omitir da Declaração Anual o valor faturado nas transações que não demandaram emissão de nota.

A analista do Sebrae Mirella Condé alerta que a Receita Federal aprimora, a cada ano, o cruzamento de dados do contribuinte. Por exemplo: se o MEI, que só pode faturar até R$ 81 mil por ano, comprar um carro no valor de R$ 100 mil, ele será intimado a prestar contas.

“Hoje a Receita Federal monitora até mesmo as redes sociais. Quem ostenta muitos gastos em suas redes, mas omite bens na declaração do imposto de renda, corre o risco de cair na malha fina”, alerta a contadora Emanuele Caetano.

Multa por exceder o faturamento

Para ser MEI, o negócio não pode faturar mais de R$ 81 mil por ano. “Faturamento é diferente rendimento”, observa Mirella. “Tudo o que entra, ou seja, todo o valor que a empresa recebe é faturamento”, explica. Já o rendimento corresponde ao lucro – do valor faturado, subtrai-se tudo o que foi gasto, como conta de luz, compra de insumos, etc.

A analista do Sebrae/SP Ana Roberta Amarante destaca que, embora o limite de faturamento anual do MEI seja de R$ 81 mil, ele tem de ser proporcional mês a mês, ou seja, de aproximadamente R$ 6.750.

“Se você abrir a empresa em novembro, não significa que você pode faturar R$ 81 mil até dezembro”, alerta a analista.

Caso extrapole o limite de faturamento, além de ser de ser desenquadrado do MEI, o empreendedor terá de pagar uma multa proporcional ao valor excedente.

A orientação do Sebrae é procurar os órgãos competentes para migrar do MEI para outra modalidade empresarial assim que perceber que irá exceder o limite de faturamento.

"Se você tem um controle do seu negócio, vai perceber antes que irá ultrapassar o limite. Quanto antes fizer o desenquadramento melhor. Vai evitar o gasto extra com multas", reforça a analista Mirella Condé.





Por: Daniel Silveira, G1 Rio

Outras notícias

Comentários