Sunset
Notícias recentes
Ibama aplica multa de R$13,7 milhões por desmate ilegal em 4 fazendas no norte de MT

Ibama aplica multa de R$13,7 milhões por desmate ilegal em 4 fazendas no norte de MT

access_time12/06/2018 07:23

Um desmate ilegal de 2,6 mil hectares no norte de Mato Grosso foi identificado pelo Instituto Brasil

Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro de 2016

Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro de 2016

access_time21/08/2018 07:15

O dólar subiu forte frente ao real nesta segunda-feira (20), no quarto pregão de alta, com o mercado

Temer pede que STF arquive inquérito sobre pagamentos da Odebrecht

Temer pede que STF arquive inquérito sobre pagamentos da Odebrecht

access_time12/09/2018 07:33

O presidente Michel Temer pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (11), por meio d

Defesa do agressor de Bolsonaro não revela quem está arcando com honorários
Adelio Bispo de Oliveira esfaqueou o candidato a presidente pelo PSL na 5ª (6.set)

Defesa do agressor de Bolsonaro não revela quem está arcando com honorários

PF investiga se há mais envolvidos. Agressor está preso em Campo Grande

access_time10/09/2018 08:19

Os advogados de Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada no candidato Jair Bolsonaro, não informam quem está pagando seus honorários. São 4 profissionais cuidando da defesa: Fernando Magalhães, Zanone Oliveira Júnior, Marcelo da Costa e Pedro Possa.

Os advogados disseram ter sido contratados por 1 fiel da igreja Testemunhas de Jeová de Montes Claros, que seria frequentada pela família do agressor. A igreja Testemunhas de Jeová no Brasil, porém, emitiu comunicado declarando não ter contratado os advogados e que nem Adélio nem sua família eram seguidores da igreja: “Portanto, a declaração do advogado de que foi contratado por Testemunha de Jeová, conforme veiculada pela mídia, não é verídica”.

Mais envolvidos

A Polícia Federal investiga se mais pessoas, além de Adélio, estão envolvidas no atentado da última 5ª feira (06). Dois suspeitos estão sendo investigados, e 1 deles está internado depois de se envolver em uma briga durante o atentado a Bolsonaro.

A PF quebrou o sigilo de dados telefônicos do agressor. A ideia é rastrear a movimentação de Adélio em Juiz de Fora, onde pagou adiantado R$ 400 pelo maior quarto da hospedagem.

Adélio está em uma cela individual no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS). Seus advogados afirmam que ele agiu sozinho e tomou a decisão 3 dias antes ou ouvir o discurso do candidato pelo PSL sobre quilombolas.

A família de Bolsonaro, porém, afirma que o crime foi premeditado.





Por: Poder 360 (com informações da Agência Brasil)

Outras notícias

Comentários