Camara Peixoto
Notícias recentes
Policiais deflagram operação fraudator em Peixoto de Azevedo e prendem servidor

Policiais deflagram operação fraudator em Peixoto de Azevedo e prendem servidor

access_time07/03/2019 09:45

Policiais civis de Guarantã do Norte deflagram, há pouco, a operação Fraudator, em Peixoto de Azeved

Colisões frontais fizeram 37 vítimas fatais na BR-163 em MT em 2018

Colisões frontais fizeram 37 vítimas fatais na BR-163 em MT em 2018

access_time30/12/2018 15:11

De acordo com um levantamento da concessionária que administra o trecho da BR-163, que liga a divisa

Mulher com 11 passagens por furto e mandado de prisão em aberto é presa na fronteira ao tentar fugir para Bolívia

Mulher com 11 passagens por furto e mandado de prisão em aberto é presa na fronteira ao tentar fugir para Bolívia

access_time04/09/2018 08:01

Mulher com 11 passagens por furto, que estava com mandado de prisão em aberto, foi presa, nesta segu

Dívida prescrita não pode ser cobrada, decide Justiça

Dívida prescrita não pode ser cobrada, decide Justiça

access_time10/06/2021 13:36

A 14ª Vara Cível Central da Capital declarou a inexigibilidade de dívida de mais de cinco anos que nunca foi cobrada pelo cedente. Como o nome da autora não foi negativado em órgãos de proteção ao crédito, o pedido de danos morais foi julgado improcedente.

Segundo o juiz Christopher Alexander Roisin, as provas produzidas nos autos não deixam margem de dúvida sobre a prescrição da dívida. As rés sustentam que a prescrição só impede a cobrança judicial da dívida, mas não sua cobrança extrajudicial. Para o magistrado, no entanto, “prescrição convola a obrigação jurídica em obrigação natural, absolutamente inexigível, incobrável, por qualquer meio”.

“O fato do artigo 882 do Código Civil afirmar que o pagamento é possível pelo devedor, não significa dizer que o credor pode atormentar o devedor ou usar meios indiretos de coerção para que ele renuncie à prescrição e torna a ser executável”, escreveu o juiz. Cabe recurso da decisão.

Processo nº 1122376-64.2020.8.26.0100





Por: TJSP

Outras notícias

Comentários