anuncie aqui
Notícias recentes
Comércio lidera saldo positivo na geração de empregos em Peixoto de Azevedo

Comércio lidera saldo positivo na geração de empregos em Peixoto de Azevedo

access_time28/08/2018 09:40

O município de Peixoto de Azevedo gerou mais vagas com carteira assinada, em julho. No total, foram

Por que o Ebola continua voltando? Congo vive novo surto

Por que o Ebola continua voltando? Congo vive novo surto

access_time15/05/2018 07:36

O vírus ebola apareceu de novo, desta vez na República Democrática do Congo. Ainda que seja impossív

Boris Johnson renuncia ao cargo de ministro britânico de Relações Exteriores

Boris Johnson renuncia ao cargo de ministro britânico de Relações Exteriores

access_time09/07/2018 19:17

O ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, renunciou nesta segunda-feira (9) a

Dólar fecha abaixo de R$ 3,80, sob influência externa e política local

Dólar fecha abaixo de R$ 3,80, sob influência externa e política local

Nesta sexta-feira começaram as convenções para definição das chapas que concorrerão à presidência

access_time20/07/2018 16:38

O dólar fechou em queda nesta sexta-feira (20) acompanhando o cenário internacional e de olho na cena política no Brasil.

A moeda norte-americana caiu 1,85%, a R$ 3,7743 na venda. Na mínima do dia, chegou a R$ 3,7586. Veja mais cotações. Já o dólar turismo foi vendido perto de R$ 3,93, sem considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Na semana, o dólar acumulou queda de 1,96%. Em 2018, avançou 13,91%.

No Brasil, começaram nesta sexta-feira as convenções para definição das chapas que concorrerão à presidência. O mercado tem monitorado a candidatura de políticos considerados mais comprometidos com as reformas econômicas.

O recuo do dólar em relação a outras moedas no mercado internacional era outro fator que contribuiu para a tendência de queda no Brasil. O dólar tinha forte baixa sobre várias moedas depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressar preocupação com uma moeda mais forte.

Trump declarou estar pronto para taxar US$ 500 bilhões em produtos importados da China, em mais um capítulo das tensões comerciais entre as duas potências e voltou a criticar a política do Federal Reserve (Fed) de aumentar a taxa de juros, dizendo que reduz a vantagem competitiva dos Estados Unidos, assim como um dólar forte.

No Twitter, o presidente dos EUA acusou a China e a União Europeia de "manipular suas moedas e taxas de juros para baixo, enquanto os EUA estão aumentando as taxas e enquanto o dólar se fortalece a cada dia". "[Estão] tirando nossa vantagem competitiva. Como de costume, não há iguladade de condições", escreveu.

Na véspera, o dólar subiu 0,15%, a R$ 3,8453 na venda. Na máxima do dia, chegou a R$ 3,8924.

Intervenção do BC
O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 14 mil swaps tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 9,8 bilhões do total de US$ 14,023 bilhões dos contratos que vencem em agosto.





Por: G1

Outras notícias

Comentários