Banner Outras
Notícias recentes
Nove países estão sob alto risco de transmissão de ebola, diz OMS

Nove países estão sob alto risco de transmissão de ebola, diz OMS

access_time25/05/2018 14:14

Pelo menos nove países africanos foram avisados que estão sob alto risco de transmissão de ebola em

Ministros visitam amanhã abrigo com crianças brasileiras nos EUA

Ministros visitam amanhã abrigo com crianças brasileiras nos EUA

access_time05/07/2018 09:01

Na viagem aos Estados Unidos, os ministros Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores) e Gustavo do

Avião ucraniano que caiu no Irã levava passageiros de sete nacionalidades

Avião ucraniano que caiu no Irã levava passageiros de sete nacionalidades

access_time08/01/2020 08:50

O avião que caiu no Irã perto do aeroporto de Teerã, capital do país, na manhã desta quarta-feira (8

Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro de 2016
Dólar: moeda teve valorização de 1,39% sobre o real na última semana (Foto: Reuters/Dado Ruvic)

Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro de 2016

Moeda dos EUA avançou 1,07%, a R$ 3,9566, influenciada pelo cenário eleitoral e em dia de agenda esvaziada

access_time21/08/2018 07:15

O dólar subiu forte frente ao real nesta segunda-feira (20), no quarto pregão de alta, com o mercado atento a mais uma rodada de pesquisas de intenção de votos à Presidência da República e com a agenda doméstica esvaziada, segundo a Reuters.

A moeda norte-americana avançou 1,07%, a R$ 3,9566 para venda. A última vez que o dólar fechou acima desse valor foi no dia 29 de fevereiro de 2016, a R$ 4,0036.

Na máxima do dia, chegou a R$ 3,9707. Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,12, sem contar o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF). Veja mais cotações. Na sexta-feira, o dólar subiu 0,29%, a R$ 3,9146. Na semana, a valorização foi de 1,29%.

O principal índice de ações da bolsa brasileira também avançou nesta segunda-feira (20) , após abrir o dia em queda. Ao longo da sessão, os investidores monitoraram a campanha eleitoral no Brasil e o ambiente internacional. O Ibovespa subiu 0,39%, a 76.327 pontos.

Internamente, os investidores monitoraram a divulgação das primeiras pesquisas de intenção de votos após a inscrição das chapas candidatas às eleições de outubro. Eles temem que um candidato considerado menos comprometido com as reformas fiscais desponte nas sondagens.

No exterior, os investidores estão na expectativa das conversas entre representantes de Estados Unidos e China nesta semana, com o sonho de que possam gerar algum avanço na disputa comercial entre os dois países, de acordo com a Reuters.

A lira turca recuava em relação ao dólar, depois agências de classificação de risco rebaixaram a nota de crédito soberana do país e da ocorrência de disparos de tiros na embaixada dos Estados Unidos em Ancara, segundo a Reuters.

A S&P reduziu a classificação da Turquia de BB- para B+, depois que os mercados fecharam na sexta-feira, citando a extrema volatilidade da moeda e prevendo uma recessão no próximo ano. A Moody's rebaixou a classificação de Ba2 para Ba3 e mudou a perspectiva de qualificação para negativa, destacando o enfraquecimento das instituições públicas e a redução na previsibilidade da formulação de políticas do país.

No ano, a lira perdia cerca de 38% de seu valor em relação ao dólar neste ano, também de acordo com a Reuters.

Ainda no cenário externo, entrou em vigor nesta segunda o pacote de medidas do governo venezuelano para tentar conter a hiperinflação no país, prevista para 1.000.000% em 2018.

A principal ação será um corte de cinco zeros na moeda local, que passará a se chamar bolívar soberano. Além disso, a reforma vai vincular o bolívar à recém lançada criptomoeda petro.

Ação do BC
O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 3,36 bilhões do total de US$ 5,255 bilhões que vence em setembro.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, a autoridade monetária terá feito a rolagem integral.





Por: G1

Outras notícias

Comentários