anuncie aqui
Notícias recentes
Prefeitura de Peixoto de Azevedo realizou Mutirões em diversas Comunidades

Prefeitura de Peixoto de Azevedo realizou Mutirões em diversas Comunidades

access_time24/08/2018 18:10

Foi ofertado pela Secretaria Municipal de Saúde atendimento médico, preventivos, vacinação e vacinaç

Elon Musk anuncia produção de carro inédito da Tesla na China

Elon Musk anuncia produção de carro inédito da Tesla na China

access_time07/01/2019 08:00

O CEO da Tesla, Elon Musk, anunciou nesta segunda-feira (7) que um modelo inédito será produzido na

Tratorista morre ao ser atacado por milhares de abelhas africanas em MT

Tratorista morre ao ser atacado por milhares de abelhas africanas em MT

access_time22/01/2019 09:27

Um homem morreu após ser atacado por um enxame de abelhas nesse domingo (20), em Canabrava do Norte,

Dólar ultrapassa R$ 3,90 sem intervenção do BC
Pelo quinto mês consecutivo de aumento, dólar se valoriza frente ao real (//iStock)

Dólar ultrapassa R$ 3,90 sem intervenção do BC

A moeda americana fechou a R$ 3,9111 na venda, maior valor desde 7 de junho, quando bateu R$ 3,9258

access_time03/07/2018 07:32

O dólar saltou quase 0,9% nesta segunda-feira e passou o patamar de R$ 3,90, acompanhando o cenário externo com movimentos de maior aversão ao risco e sem intervenções extraordinárias do Banco Central. A moeda fechou a 3,9111 reais na venda, maior valor desde 7 de junho, quando bateu 3,9258 reais. É o segundo avanço seguido da moeda americana, que terminou sexta-feira em 3,877 reais.

Em junho, o dólar fechou com valorização acumulada de 3,76%. É o quinto mês consecutivo de aumento, período em que subiu 22% frente ao real.

O baixo volume de transações financeiras pela manhã, devido ao jogo Brasil e México pelas oitavas de final da Copa do Mundo, e o cenário externo marcado pela tensão comercial entre os Estados Unidos e a China são apontados pela corretora Rico Investimentos em relatório como possíveis causas do salto. Na sexta-feira, os Estados Unidos devem passar a tarifar aproximadamente 34 bilhões de dólares em produtos chineses — e o país asiático deve elaborar uma resposta à altura.

Sem intervenções
Mesmo com a forte alta, não houve leilões extraordinários de dólar futuro por parte do Banco Central na sessão desta segunda — o mecanismo que a instituição usa para conter o avanço da moeda americana. O BC optou por manter a venda do lote previsto de 14.000 swaps cambiais.

O swap cambial é um recurso para suavizar a pressão das variações do mercado de câmbio. Por meio desses contratos, o Banco Central se compromete a pagar ao investidor a valorização do dólar, enquanto o investidor se compromete a pagar ao governo o valor da taxa Selic. Assim, o swap diminui movimentos especulativos, pois desincentiva a compra de dólares. 





Por: Veja.com

Outras notícias

Comentários