Camara Peixoto
Notícias recentes
Vigilância Ambiental intensifica o combate ao mosquito aedes aegypti

Vigilância Ambiental intensifica o combate ao mosquito aedes aegypti

access_time10/03/2021 09:20

A Secretaria de Saúde através da Vigilância Epidemiológica está desenvolvendo o serviço de coleta de

Preso é suspeito de oferecer R$ 20 mil a agente penitenciário para conseguir celular

Preso é suspeito de oferecer R$ 20 mil a agente penitenciário para conseguir celular

access_time02/09/2019 10:09

Um detento da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, é suspeito de tentar subornar um age

Mais de 1,7 mil casos de estupro foram registrados em 2019 em MT

Mais de 1,7 mil casos de estupro foram registrados em 2019 em MT

access_time11/02/2020 10:08

O número de casos de estupro em Mato Grosso aumentou em 2019 se comparado com o mesmo período de 201

Empresas suspeitas de extração ilegal de madeira são alvos de operação da PF e Ibama
Polícia Federal faz Operação Madeira Nativa em Feliz Natal (MT) — Foto: Polícia Federal de Mato Grosso/Assessoria

Empresas suspeitas de extração ilegal de madeira são alvos de operação da PF e Ibama

Grupo investigado extraía madeira e fraudava documentação em sistema. Devem ser cumpridos 8 mandados de busca e apreensão em Feliz Natal

access_time14/11/2018 10:30

Uma organização criminosa suspeita de extração ilegal de madeira é alvo de uma operação nesta quarta-feira (14) em Feliz Natal, a 518 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Federal, a Operação 'Madeira Nativa' deve cumprir oito mandados de busca e apreensão em empresas madeireiras e nas residências dos principais investigados.

A operação é feita com agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

De acordo com a PF, uma organização criminosa responsável pela contínua extração ilegal de madeiras no Projeto de Assentamento ENA, em Feliz Natal, é a principal investigada na ação policial.

Essa organização criminosa extraía grandes quantidades de madeiras da área de reserva legal do projeto e cometia fraudes no Sistema de Gestão Florestal do Estado do Mato Grosso (SISFLORA-MT). Com a ação, a madeira constava como legal, alterando local de extração e tipo de madeira.

Os suspeitos conseguiam simular a retirada das madeiras, algumas que têm extração proibida, para outro tipo de madeira que possui autorização para ser extraída.

Além disso, foi apurado que a organização criminosa é dividida em núcleos: alguns responsáveis pela exploração e transporte da madeira, outros pelo esquentamento dela e um último pela vigilância e segurança armada das operações criminosas.

O grupo deve responder por furto, receptação, falsidade ideológica e organização criminosa, além de crimes ambientais diversos.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários