Spigreen
Notícias recentes
Por que suas mensagens no WhatsApp poderão ser apagadas para sempre na 2ª feira

Por que suas mensagens no WhatsApp poderão ser apagadas para sempre na 2ª feira

access_time11/11/2018 09:37

Você usa WhatsApp e tem o sistema operacional Android no seu celular? Então, é melhor fazer uma cópi

Justiça dos EUA dá sinal verde para que Trump construa muro

Justiça dos EUA dá sinal verde para que Trump construa muro

access_time27/07/2019 09:01

Com a planejada construção do controverso muro na fronteira mexicana, o presidente dos Estados Unido

Mais uma capacitação da Editora Positivo para professores de Peixoto de Azevedo

Mais uma capacitação da Editora Positivo para professores de Peixoto de Azevedo

access_time20/03/2019 09:01

A Secretaria Municipal de Educação de Peixoto de Azevedo está realizando mais uma Capacitação do Apr

Estudo inédito do CNJ aponta que 41% dos presos de MT voltam à prisão em até 5 anos
Mato Grosso tem população carcerária de 11 mil presos — Foto: Tchelo Figueiredo/Secom-MT

Estudo inédito do CNJ aponta que 41% dos presos de MT voltam à prisão em até 5 anos

Segundo a Sesp, população carcerária do estado é de, atualmente, 11.874 presos. Pesquisa analisou dados de presos entre 2015 e 2019

access_time05/03/2020 13:51

Um estudo inédito sobre a reincidência de presos no Brasil apontou que 41% dos presos de Mato Grosso voltam para a cadeia em até 5 anos. Os dados, com base no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foram divulgados na terça-feira (3).

De acordo com o levantamento, o estudo comparou estatísticas do sistema socioeducativo e do sistema prisional em cada estado.

A conclusão foi que a taxa de reentrada no sistema prisional é bastante superior àquela encontrada no sistema socioeducativo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), a população carcerária do estado é de, atualmente, 11.874 presos adultos. Eles estão distribuídos em 53 cadeias públicas e penitenciárias do estado.

Já os adolescentes infratores apreendidos são 117 em 7 unidades socioeducativas em Mato Grosso.

O levantamento levou em consideração presos e adolescentes que tiveram sentença condenatória entre 2015 e 2019. Foram avaliadas as chamadas reentradas (reincidência) nesse grupo durante o período observado.

Dados nacionais
Conforme dados do Departamento Penitenciário Nacional, a população prisional do país triplicou em apenas dezesseis anos. Em 2016, atingiu- -se o número de 726 mil pessoas privadas de liberdade, tendo o Brasil subido à terceira posição entre os maiores encarceradores do mundo.

Em todo país, comparando uma amostra dos processos de 5.544 adolescentes com passagens pelo sistema socioeducativo à de ações penais de 82.063 adultos presos, concluiu-se que 22,9% dos adolescentes com uma sentença condenatória voltam a ser condenados. Entre os adultos, o índice chega a 42,5%.

Quanto à raça/cor, os pesquisadores chamaram a atenção para dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que, à época, indicavam que 55% da população brasileira era preta 48 ou parda. Já os indicadores da pesquisa apontavam que 60,3% das pessoas analisadas eram negras.

No entanto, a categoria de “não informado” chegava a alcançar 45% dos não reincidentes, 39% dos reincidentes e 43% da população investigada. Em que pese a grande perda de informação para esse dado, a pesquisa sinalizou que a população parda era maioria entre os não reincidentes (53,6%). Já os brancos (53,7%) constituíam maioria entre os reincidentes.

Por sua vez, a pesquisa constatou que 75,1% dos presos do corte em estudo não tinham instrução ou detinham apenas o ensino fundamental, ao passo que 80,3% dos reincidentes se encontravam na mesma situação. Em adição, 88,9% de toda a amostra informou ter ocupação, sendo esse número mais elevado para os reincidentes (92,5%).

Estudo inédito do CNJ aponta que 41% dos presos de MT voltam à prisão em até 5 anos — Foto: Christiano AntonucciEstudo do CNJ aponta que 41% dos presos de MT voltam à prisão em até 5 anos





Por: Por Denise Soares, G1 MT

Outras notícias

Comentários