anuncie aqui
Notícias recentes
Gaeco denuncia 113 pessoas acusadas de integrarem facção criminosa

Gaeco denuncia 113 pessoas acusadas de integrarem facção criminosa

access_time24/10/2018 07:15

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado

Sem apoio do MDB, Temer não deve disputar reeleição

Sem apoio do MDB, Temer não deve disputar reeleição

access_time14/05/2018 07:43

Não foi por acaso que o presidente Michel Temer, cujo governo completou dois anos no sábado (12), pa

Engenheiro diz que recebeu quase R$ 1 milhão de empresa do coronel Lima por obra na casa de filha de Temer

Engenheiro diz que recebeu quase R$ 1 milhão de empresa do coronel Lima por obra na casa de filha de Temer

access_time08/06/2018 20:01

O engenheiro Luiz Eduardo Visani, dono da construtora Visani Engenharia, disse em depoimento à Políc

EUA anunciam saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU
Embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley vota contra resolução para proteção de palestinos em Gaza (Foto: Shannon Stapleton/Reuters)

EUA anunciam saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Embaixadora dos Estados Unidos classificou órgão como 'hipócrita'. Ela acusa o conselho de ser 'anti-Israel'.

access_time19/06/2018 18:44

Os Estados Unidos se retiraram do Conselho de Direitos Humanos da ONU nesta terça-feira, depois que nenhum outro país "teve coragem de se juntar à nossa luta" para reformar o órgão "hipócrita", disse a embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley.

"Ao fazê-lo, quero deixar bem claro que este passo não é um recuo em relação aos nossos compromissos com os direitos humanos", afirmou Haley.

Os EUA estavam na metade de um mandato de três anos no principal organismo de direitos humanos da entidade e há tempos vinham ameaçado se desfiliar se este não fosse reformado, acusando o conselho de 47 membros sediado em Genebra de ser anti-Israel.

Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU, fala em reunião do Conselho de Segurança (Foto: Seth Wenig/ AP Photo)
Nikki Haley, embaixadora dos EUA na ONU, fala em reunião do Conselho de Segurança (Foto: Seth Wenig/ AP Photo)

Na semana passada a Reuters noticiou que ativistas e diplomatas disseram que as conversas com os EUA sobre uma reforma do órgão não atenderam às exigências de Washington, dando a entender que o governo Trump abandonaria o fórum.

A saída de Washington marca a rejeição norte-americana mais recente em engajamento multilateral desde que o país se desligou do acordo climático de Paris e do pacto nuclear com o Irã.

Imigrantes que atravessaram a fronteira do México com os EUA aguardam para serem encaminhados a centros de detenção em Rio Grande Valley, no Texas (Foto: Loren Elliott/File Photo/Reuters)
Imigrantes que atravessaram a fronteira do México com os EUA aguardam para serem encaminhados a centros de detenção em Rio Grande Valley, no Texas (Foto: Loren Elliott/File Photo/Reuters)

Crise com a ONU

Os EUA estão enfrentando fortes críticas por deterem crianças separadas de seus pais imigrantes na fronteira EUA-México. Na segunda-feira Zeid Ra'ad al-Hussein, o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, pediu que Washington suspenda sua política "impiedosa".

Um ano atrás Haley disse que Washington estava analisando sua filiação ao conselho e pediu uma reforma e a eliminação de um "viés anti-Israel crônico". O conselho criado em 2006 tem como item permanente de sua agenda as supostas violações cometidas por Israel nos territórios palestinos ocupados, item que Washington quer ver removido.





Por: Reuters

Outras notícias

Comentários