anuncie aqui
Notícias recentes
Cinco candidatos registram candidatura ao governo de MT no TRE

Cinco candidatos registram candidatura ao governo de MT no TRE

access_time16/08/2018 08:25

Cinco candidatos ao governo de Mato Grosso registraram as candidaturas no Tribunal Regional Eleitora

Jovem com doença rara que dava palestras sobre superação morre em hospital em Cuiabá

Jovem com doença rara que dava palestras sobre superação morre em hospital em Cuiabá

access_time02/07/2018 08:28

Sérgio Luiz Ferreira da Silva, de 19 anos, conhecido como Serginho, que nasceu com epidermólise bolh

Variação do dólar, preço do frete e aumento da ração prejudicam suinocultura

Variação do dólar, preço do frete e aumento da ração prejudicam suinocultura

access_time30/12/2018 14:42

Os suinocultores de Mato Grosso esperam que 2019 seja melhor que este ano para o setor e que a produ

Ex-governador do Paraná Beto Richa é preso

Ex-governador do Paraná Beto Richa é preso

Em outra operação, da Lava Jato, ex-chefe de gabinete de Richa é preso

access_time11/09/2018 10:10

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, deflagrou hoje (11)  a Operação Radiopatrulha que tem por objetivo investigar irregularidades no programa Patrulha do Campo, lançado pelo então governador do Paraná Beto Richa, no período 2012-2014.

Os policiais civis estão cumprindo 15 mandados de prisão temporária e 26 de busca e apreensão em Curitiba, Londrina, Santo Antônio do Sudoeste e Nova Prata do Iguaçu. Entre os presos, estão o ex-governador do Paraná Beto Richa e sua mulher Fernanda, ex-secretários de governo e empresários.

As ações da Gaeco ocorrem em "16 residências, quatro escritórios, um escritório político, quatro empresas e na sede do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná. Os mandados foram emitidos pelo Juízo da 13ª Vara Criminal de Curitiba apurando-se indícios de direcionamento de licitação para beneficiar empresários e pagamento de propina a agentes públicos, além de lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça".

Lava Jato

Também esta manhã a Polícia Federal deflagrou a Operação Piloto, a 53ª fase da Lava Jato, que investiga o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323. 

Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do então governador do Paraná Beto Richa, é um dos alvos de prisão. Também foram presos "Jorge Theodócio Atherino, empresário apontado como operador financeiro do ex-governador; e Tiago Correia Adriano Rocha, indicado como braço-direto de Jorge, e responsável por diversas transações financeiras dos empreendimentos do executivo".

Cerca de 180 policiais federais cumprem 36 ordens judiciais, entre eles, dois de prisão preventiva, um de prisão temporária e 33 de busca e apreensão em endereços no Paraná, em São Paulo e na Bahia. Os policiais apuram denúncias de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro. "O objetivo é aprofundar as investigações sobre a prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação referentes à duplicação da PR-323, favorecendo a empresa Odebrecht", diz nota divulgada pelo Ministério Publico Federal (MPF).

Segundo o MPF, "empresários do grupo Odebrecht realizaram, no primeiro semestre de 2014, um acerto de subornos com Deonilson Roldo, para que este limitasse a concorrência da licitação para duplicação da PR-323, entre os municípios de Francisco Alves e Maringá. Em contrapartida, a Odebrecht pagaria R$ 4 milhões a Roldo e ao seu grupo. 

O nome de Operação Piloto remete ao codinome atribuído pelo Grupo Odebrecht em seus controles de repasses de pagamentos indevidos a investigados nesta ação policial. Os detidos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde permanecerão à disposição da Justiça.





Por: Agência Brasil

Outras notícias

Comentários