anuncie aqui
Notícias recentes
Comunicado da Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azevedo

Comunicado da Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azevedo

access_time12/11/2018 15:45

Todas as pessoas que fizeram cursos da Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azev

STJ mantém decisão que autoriza aéreas a cobrar bagagem despachada

STJ mantém decisão que autoriza aéreas a cobrar bagagem despachada

access_time25/04/2019 06:26

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu quarta-feira (24) que a Justiça Federal no Ceará deve j

Estudante mata ao menos 19 pessoas em um colégio da Crimeia com uma bomba e um fuzil

Estudante mata ao menos 19 pessoas em um colégio da Crimeia com uma bomba e um fuzil

access_time18/10/2018 12:00

Pelo menos 19 pessoas morreram e 50 ficaram feridas nesta quarta-feira por causa da explosão de uma

Fazendeiro é multado em R$ 5 milhões por desmatamento ilegal durante operação
3ª fase da Operação Siriema identifica mil hectares de desmatamento em MT — Foto: Ibama/Divulgação

Fazendeiro é multado em R$ 5 milhões por desmatamento ilegal durante operação

Ibama identificou cerca de mil hectares de desmatamento e deteve três pessoas

access_time28/11/2018 07:40

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deflagrou nesta terça-feira (27), a terceira fase da Operação Siriema, de combate o desmatamento ilegal na região de cerrado. As ações ocorreram em Santa Cruz do Xingu, a 994 km de Cuiabá.

Os fiscais localizaram uma área ocupada irregularmente, com cerca de mil hectares de desmatamento. O proprietário da área foi autuado e deve pagar multa do valor de R$ 5 mil por hectare desmatado.

Três pessoas que estavam no local foram conduzidas para a delegacia. Os fiscais também apreenderam quatro motosserras, armas, retroescavadeira e um caminhão "prancha".

Desde o início da operação, em maio deste ano, o Ibama já embargou nove mil hectares de terra e aplicou cerca de R$ 40 milhões de reais em multa.

Resultados
Desde que a operação foi deflagrada, os fiscais já identificaram pareceres técnicos falsos emitidos por engenheiros e responsáveis técnicos, em que o tipo de vegetação é modificado.

Também foram encontradas autorizações que foram concedidas sem a apresentação dos documentos necessários.

De acordo com o Código Florestal, a área de reserva legal para floresta dentro da propriedade é de 80%, podendo chegar a 50%, enquanto que para o cerrado, é de 35%.

Assim, fraudando a informação quanto ao tipo vegetação na área a ser desmatada, o interessado visa a autorização para desmatar mais que o permitido pela legislação.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários