Kurupí
Notícias recentes
Número do eleitorado de MT reduz 4,1% em um ano, aponta balanço do TRE

Número do eleitorado de MT reduz 4,1% em um ano, aponta balanço do TRE

access_time22/01/2019 09:30

O eleitorado de Mato Grosso teve redução de 4,1% nos últimos 12 meses, segundo dados estatísticos do

Campeã olímpica Rafaela Silva se defende de acusação de doping

Campeã olímpica Rafaela Silva se defende de acusação de doping

access_time21/09/2019 06:44

A campeã olímpica Rafaela Silva concedeu uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (20) para se defe

Cantor sertanejo dá facadas em cliente que assediou a mulher dele durante show

Cantor sertanejo dá facadas em cliente que assediou a mulher dele durante show

access_time24/09/2018 14:31

Um cantor sertanejo é suspeito de ter esfaqueado um cliente de uma boate na madrugada desse domingo

Fed se reúne para decidir sobre taxa de juros após críticas de Trump
Presidente do Fed, Jerome Powell (Foto: Aaron P. Bernstein/Reuters)

Fed se reúne para decidir sobre taxa de juros após críticas de Trump

Expectativa é que BC dos EUA deverá manter juros e continuar a caminho de duas novas altas até o final do ano

access_time31/07/2018 08:01

O Federal Reserve deve manter as taxas de juros nesta quarta-feira (1), mas sólido crescimento econômico combinado com inflação em elevação devem manter o banco central norte-americano no caminho de dois novos aumentos neste ano, mesmo após o presidente Donald Trump ter elevado as críticas contra a subida dos juros. Atualmente, os juros estãoentre 1,75% a 2% ao ano.

O banco central dos EUA aumentou custos de empréstimo em março e junho, e investidores esperam elevações adicionais em setembro e dezembro. O Fed aumentaram os juros sete vezes desde dezembro de 2015.

Na semana passada, o presidente Trump rompeu décadas de tradição de respeito à independência do banco central ao criticar abertamente o curso da política monetária. Em entrevista, Trump disse: "Não estou satisfeito" com a política de aumentar gradualmente os juros. "Mas, ao mesmo tempo, deixo eles fazerem o que acharem que é melhor".

Na ocasião, o presidente tinha insinuado que o Fed estava impulsionando o dólar, criando, assim, um obstáculo à competitividade das exportações americanas.

O Fed vai anunciar sua decisão nesta quarta-feira às 15h (horário de Brasília). Não há previsão de entrevista coletiva e somente pequenas mudanças são esperadas, comparado ao comunicado pós-reunião do Fed em junho, que enfatizou a aceleração do crescimento econômico, fortes investimentos privados e inflação crescente.

"Eles têm as expectativas exatamente onde eles querem", disse Michael Feroli, um economista do JPMorgan. "Eles podem precisar ajustar as palavras e a linguagem, mas acho que a mensagem geral vai ser a mesma."

Em sua última reunião, em junho, o Fed, elevou a taxa de juros dos EUA pela segunda vez no ano, de 1,5% a 1,75% ao ano para 1,75% a 2%.

A economia dos Estados Unidos cresceu ao ritmo mais rápido em quase 4 anos no segundo trimestre, com consumidores elevando seus gastos e fazendeiros acelerando embarques de soja para a China antes que tarifas comerciais entrassem em vigor no início de julho.

A medida de inflação preferida pelo Fed avançou a um ritmo de 2% no segundo trimestre, também mostraram os dados. Economistas esperam que dados mostrem nesta terça-feira que os preços em junho foram 2% mais altos que um ano antes, igualando a leitura de maio.

Isso significaria dois meses seguidos em que a inflação atingiu a meta do Fed de 2%, depois de ficar abaixo disso por seis anos.





Por: Reuters

Outras notícias

Comentários