anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Justiça reduz pena de Riva pela metade devido a acordo de delação premiada

Justiça reduz pena de Riva pela metade devido a acordo de delação premiada

access_time26/07/2023 18:22

A Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) decidiu, por unanimidade, re

No Ceará, chikungunya matou mais do que a dengue na última década, aponta estudo

No Ceará, chikungunya matou mais do que a dengue na última década, aponta estudo

access_time11/04/2023 08:22

De acordo com um estudo epidemiológico publicado na revista The Lancet Microbe, o Ceará é o estado m

Dorival Jr. e Abel Ferreira estão entre os 10 melhores técnicos do mundo

Dorival Jr. e Abel Ferreira estão entre os 10 melhores técnicos do mundo

access_time10/01/2023 09:33

A Federação Internacional de Histórias e Estatísticas do Futebol (IFFHS) divulgou nesta segunda-feir

FMI aprova revisão de acordo à Argentina e libera empréstimo de US$ 4,7 bilhões
Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

FMI aprova revisão de acordo à Argentina e libera empréstimo de US$ 4,7 bilhões

Aprovação faz parte de um programa refinanciado de US$ 44 bilhões, o maior do credor, que passou por incertezas durante a campanha eleitoral

access_time01/02/2024 14:45

Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou um desembolso de US$ 4,7 bilhões para o governo do presidente argentino Javier Milei, de acordo com um comunicado divulgado nesta quinta-feira, 1. Essa aprovação faz parte de um programa refinanciado de US$ 44 bilhões, o maior do credor, que passou por incertezas durante a campanha eleitoral. A diretoria do FMI tomou a decisão na quarta-feira, seguindo um acordo alcançado em Buenos Aires no início deste mês. A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, elogiou as medidas tomadas pelo novo governo para restaurar a estabilidade macroeconômica e enfrentar os desafios ao crescimento. No entanto, ela ressaltou que o caminho para a estabilização ainda é desafiador. O desembolso aprovado pelo FMI é maior do que o esperado inicialmente, dando ao novo presidente tempo para honrar os pagamentos da dívida com o Fundo antes de decidir se continuará com o programa atual ou se negociará um novo.

Recentemente, o presidente Milei retirou algumas medidas de austeridade importantes de um pacote de reforma abrangente para apaziguar os legisladores. No entanto, o ministro da Economia, Luis Caputo, garantiu que a Argentina ainda cumprirá sua meta de “déficit zero”. Além disso, o FMI espera que os argentinos aumentem suas reservas externas líquidas para US$ 10 bilhões até o final do ano. O Fundo também espera que a política monetária adotada pelo presidente Milei evolua nos próximos meses, à medida que a desvalorização da moeda reflita na economia. O chefe de gabinete de Milei, Nicolas Posse, viajou para Washington esta semana e se reuniu com a número 2 do FMI, Gita Gopinath. No início de janeiro, Milei também se encontrou com Gopinath e com a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, durante o Fórum Econômico Mundial em Davos. Apesar do apoio do FMI, o Fundo reduziu drasticamente sua estimativa de crescimento para a Argentina, prevendo uma contração de 2,8% no PIB este ano, devido ao aumento da inflação. O presidente argentino tem pressionado por um “ajuste significativo de políticas” para enfrentar os desafios econômicos do país.

Publicado por Sarah Américo

*Reportagem produzida com auxílio de IA





Por: Jovem Pan

Outras notícias

Comentários