anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Cooperado doou mais de 1.000 sementes de Mogno ao viveiro da Coogavepe

Cooperado doou mais de 1.000 sementes de Mogno ao viveiro da Coogavepe

access_time22/02/2024 10:45

O empresário e cooperado, Nivaldo Nunes, esteve no Centro de Tecnologia Mineral e Viveiro de Mudas d

Propina de R$ 18 milhões: entenda porque o contrato do VLT foi rescindido e não há como retomar obra

Propina de R$ 18 milhões: entenda porque o contrato do VLT foi rescindido e não há como retomar obra

access_time16/03/2023 13:20

O Procurador Geral do Estado, Francisco Lopes, declarou que não há possibilidade de o governo do Est

"PL da Mineração" é aprovado com 19 votos na Assembleia Legislativa

access_time09/01/2024 06:26

A Assembleia Legislativa aprovou em segunda votação, nesta segunda-feira (08), o Projeto de Lei Comp

Gestores demitidos da Saúde negam dívida de R$ 350 milhões;
Ex-gestores Suelen Alliend, Paulo Rós e Gilmar Cardoso classificaram o relatório como inverídico

Gestores demitidos da Saúde negam dívida de R$ 350 milhões; "Dados são levianos"

Ex-gestores Suelen Alliend, Paulo Rós e Gilmar Cardoso pretender apresentar o próprio balanço

access_time04/01/2023 11:18

Os três ex-gestores da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, exonerados pelo interventor Hugo Fellipe Lima, negaram que a dívida do setor seja de R$ 350 milhões, como divulgado pelo boletim informativo do gabinete de Intervenção. Segundo eles, os dados são “levianos”.

Conforme o boletim, há um rombo financeiro na ordem de R$ 350 milhões e não há dinheiro em caixa para efetuar o pagamento dessas dívidas.

“Portanto, a situação da saúde de Cuiabá é de evidente colapso financeiro, tendo em vista a existência de dívidas sem o respectivo recurso financeiro para pagamento. O estouro apurado até o momento supera R$ 350 milhões, não havendo dinheiro em caixa para honrar sequer as dívidas mais urgentes da saúde”, destacou trecho do boletim.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (04), a ex-secretária de Saúde, Suelen Alliend, o ex-diretor da Empresa Cuiabana de Súde, Paulo Rós, e o ex-adjunto Gilmar Cardoso, classificaram o relatório como inverídico e divulgado ‘com clara conotação política’.

“Um ato leviano, meramente midiático, ignorando deliberadamente, por exemplo, repasses do Teto MAC, processos em habilitação no Ministério da Saúde e dívidas do Governo do Estado com a Saúde Municipal, restando evidente uma com clara conotação política”, disseram.

Eles ainda pretendem divulgar um levantamento próprio sobre os restos a pagar da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da Empresa Cuiabana de Saúde Pública.

Na nota, também falaram sobre a falta de médicos na Saúde Pública de Cuiabá. Segundo os ex-gestores, a causa é “uma série de eventos que fogem ao âmbito da administração”.

“Quanto à falta de médicos, Suelen Alliend e Gilmar citaram que, infelizmente, a situação possui como causa, uma série de eventos que fogem ao âmbito da administração. Elencaram que em cumprimento a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado com o Tribunal de Justiça, a Secretaria Municipal de Saúde, foi realizada a substituição de profissionais de saúde da rede contratados por profissionais que passaram no processo seletivo simplificado.”

“Entre os exonerados, há muitos médicos que trabalhavam em unidades básicas de saúde. Foram realizados dois processos seletivos, mesmo assim as vagas não foram preenchidas. Ato contínuo, a SMS convocou a realização de concurso público a ser realizado no final deste mês”, continua.

Por fim, se colocaram à disposição dos órgãos de controle para fins de esclarecimentos em relação às informações notadamente equivocadas.





Por: JOÃO AGUIAR DO REPÓRTERMT

Outras notícias

Comentários