ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Presidente do Indea de MT está entre as 100 mulheres mais influentes do agronegócio do país

Presidente do Indea de MT está entre as 100 mulheres mais influentes do agronegócio do país

access_time18/10/2021 06:43

A presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Emanuele de Almeida, é dest

China ganha força em agosto e consumo melhora em impulso para economia

China ganha força em agosto e consumo melhora em impulso para economia

access_time15/09/2020 07:45

A produção industrial da China acelerou no ritmo mais forte em oito meses em agosto, enquanto as ven

Detran-MT notifica mais de 200 condutores sobre aplicação de suspensão do direito de dirigir

Detran-MT notifica mais de 200 condutores sobre aplicação de suspensão do direito de dirigir

access_time02/03/2021 09:28

Mais de 200 motoristas foram notificados pelo Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detr

Governador de MT diz que precisa de um a dois anos para equilibrar contas do estado
Mauro Mendes (DEM) — Foto: Christiano Antonucci/Gcom-MT

Governador de MT diz que precisa de um a dois anos para equilibrar contas do estado

Mauro Mendes disse que ao assumir o Palácio Paiaguás, em janeiro deste ano, encontrou quase R$ 4 bilhões em dívidas deixadas, supostamente, pela antiga gestão

access_time25/01/2019 18:07

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que precisa de um a dois anos para equilibrar as contas do estado.

Segundo ele, ao assumir o Palácio Paiaguás, em janeiro deste ano, encontrou quase R$ 4 bilhões em dívidas deixadas, supostamente, pela antiga gestão. Logo nos primeiros dias de gestão, o governador decretou estado de calamidade financeira.

A Assembleia Legislativa aprovou, nessa quinta-feira (24), um pacotão de projetos encaminhados por Mendes na tentativa de equacionar as contas públicas.

Mauro Mendes propôs, entre outras coisas, mudanças na concessão da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores estaduais e condicionou o pagamento da recomposição inflacionária à capacidade financeira do estado.

“Um caixa absolutamente estrangulado. Nós estamos contando os centavos para as despesas mínimas obrigatórias, essenciais, para não entrar em colapso a máquina pública. Nós vamos precisar de um a dois anos para colocar o estado em ordem e voltar a fazer gestão”, afirmou.

Durante toda a semana, houve protesto por parte dos servidores públicos contrários ao projeto que prevê o não pagamento da recomposição inflacionária. As manifestações na Assembleia Legislativa barraram as votações das propostas na data prevista, terça-feira (22), mas não impediu os deputados de votarem ainda durante esta semana. As medidas tramitaram em regime de urgência.

Segundo Mauro Mendes, o valor arrecadado em janeiro deste ano não é suficiente para quitar as dívidas.

“O que nós arrecadamos no mês de janeiro, se tivéssemos que pagar todas as despesas, ainda faltaria em torno de R$ 150 milhões para completar esses pagamentos”.

Por fim, ele pede a compreensão dos servidores.

“Eu espero que os servidores compreendam. Espero que eles possam ter a dimensão e a grandeza da importância que eles têm, mas também compreender que nós fazemos parte do serviço público”, disse Mauro Mendes.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários