anuncie aqui
Notícias recentes
CRAS realiza atividades com beneficiários do programa Bolsa Família

CRAS realiza atividades com beneficiários do programa Bolsa Família

access_time24/06/2018 07:11

O Cras em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou na tarde desta quarta-

Polícia Militar de Peixoto de Azevedo prende casal por tráfico de drogas

Polícia Militar de Peixoto de Azevedo prende casal por tráfico de drogas

access_time04/07/2018 09:40

Após denúncia anônima informando que um homem e mulher estariam comercializando entorpecente em um h

Justiça abre precedente para apreensão de CNH de devedores

Justiça abre precedente para apreensão de CNH de devedores

access_time08/06/2018 10:26

A decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) de suspender a CNH (Carteira Nacional de Habilitação

Governo pode subir tributos para compensar diesel mais barato para caminhoneiros, diz ministro da Fazenda

Governo pode subir tributos para compensar diesel mais barato para caminhoneiros, diz ministro da Fazenda

Eduardo Guardia afirmou que a reoneração da folha de pagamentos não é suficiente para compensar perdas. Segundo o ministro, será compensado com outros tributos e eliminação de benefícios.

access_time28/05/2018 10:42

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta segunda-feira (28) que pode ser preciso aumentar outros tributos para compensar o subsídio que será dado aos caminhoneiros, para manter o preço do diesel mais baixo.

"Será compensado com outro tributos. Pode criar impostos, mas há restrições legais. Majoração de impostos, eliminação de benefícios hoje existentes. Através de lei ou decretos", declarou ele.

Segundo o ministro, isso será necessário para compensar a redução de R$ 0,16 por litro do diesel da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE), e parte do PIS-Cofins.

Além disso, o governo também vai levar adiante um programa de subvenção econômica ao combustível, que assegurará R$ 0,30 a mais até o fim do ano. Ao todo, a redução no preço será de R$ 0,46 por litro do diesel.

"Ao invés de CIDE e PIS-Cofins sobre o diesel, vamos tributar outras coisas que eu vou comunicar quando for divulgado", declarou ele a jornalistas.

‘Limite do possível’
O ministro da Fazenda afirmou ainda que o governo foi ao limite do possível dentro dos limites orçamentários. Com isso, confirmou que não pode, dentro das condições atuais da economia, conceder novos benefícios até o fim do ano.

"Fizemos um brutal esforço para acabar com esse movimento que está trazendo prejuízos. Fomos no limite do que poderíamos ir [em termos orçamentários] para normalizar o movimento”, declarou ele.

Eduardo Guardia afirmou que não há disponibilidade de recursos para ir além disso.

O ministro afirmou que o preço do petróleo não é definido pelo governo, e observou que a alta afetou o mundo inteiro.

“Não só no Brasil, mas no mundo inteiro. É o preço da 'commodities', que não é fixado pelo governo. Não faremos isso. Isso sim é um subsidio implícito. Não transparente, inadequado. O que fizemos é transparente. A política de preços é a política da Petrobras. Não dá para ir além disso", declarou.

Importação de diesel
O ministro da Fazenda afirmou ainda que o governo buscará que o programa de subvenções ao preço do diesel, que assegurará queda de R$ 0,30 no preço do litro do combustívei, que seja "neutro do ponto de vista concorrencial".

Segundo ele, esse programa, que ainda tem de ser regulamentado por meio de Medida Provisória e aprovado pelo Petrobras, não pode beneficiar e nem prejudicar importadores do combustível.

"Para que isso fosse atendido, tínhamos que por um lado garantir que a subvenção atingisse o setor importador. O importador tem acesso a esse produto mais barato, teria uma vantagem competitiva frente a Petrobras", disse Guardia.

O ministro da Fazenda explicou que, caso o preço do diesel fique abaixo do valor fixado para a Petrobras, o governo poderá aumentar o imposto de importação. Isso poderá ser definido diariamente.





Por: Alexandro Martello/G1

Comentários