anuncie aqui
Notícias recentes
Menino de 2 anos toma comprimidos LSD, é internado com intoxicação e pai é detido em MT

Menino de 2 anos toma comprimidos LSD, é internado com intoxicação e pai é detido em MT

access_time18/04/2019 09:27

Um menino de 2 anos foi internado nessa quarta-feira (17) depois que consumiu comprimidos LSD que es

Juíza do DF torna Geddel Vieira Lima réu por improbidade administrativa

Juíza do DF torna Geddel Vieira Lima réu por improbidade administrativa

access_time10/07/2018 08:32

A juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, tornou nesta segunda-fei

Por greve dos caminhoneiros, MT tem fila em postos de combustíveis e suspensão de coleta de lixo e transporte escolar

Por greve dos caminhoneiros, MT tem fila em postos de combustíveis e suspensão de coleta de lixo e transporte escolar

access_time23/05/2018 16:14

A greve dos caminhoneiros e a previsão de acabar o estoque de combustíveis nos postos afetaram vário

Guerra comercial entre China e EUA marca início de cúpula do Brics

Guerra comercial entre China e EUA marca início de cúpula do Brics

Expectativa é que bloco de países emergentes defenda os órgãos multilaterais internacionais, como a OMC, hoje dirigida por um brasileiro

access_time25/07/2018 07:38

Começando nesta quarta-feira, em Johannesburgo, na África do Sul, a cúpula do bloco de países emergentes Brics – formada pelo país, Brasil, Rússia, Índia e China – será a primeira desde o início da guerra comercial entre os chineses e os Estados Unidos de Donald Trump. A expectativa é que os Brics manifestem seu apoio aos órgãos de arbitragem internacional, por vezes desrespeitados pelos americanos, em especial a Organização Mundial do Comércio (OMC), hoje dirigida por um brasileiro, Roberto Azevêdo.

“Há temas importantes que serão tratados na declaração pelos líderes. Eu destacaria a defesa do multilateralismo, em função do que ocorre hoje no mundo, tensão sobre as organizações multilaterais, em particular sobre a OMC”, disse o subsecretário-geral da Ásia e do Pacífico e responsável pelo Brics no Itamaraty, o embaixador Henrique Sardinha Pinto.

Segundo ele, é uma preocupação do Brasil e dos parceiros do grupo fazer uma manifestação “bastante firme e segura” em defesa dos princípios que norteiam o multilateralismo. Ele nega que esse seja um pedido da China para os demais, como havia dito, ainda no Brasil, o ministro Kenneth Félix da Nóbrega, diretor do Departamento de Mecanismos Inter-regionais do Itamaraty.

A crítica a medidas protecionistas, como as taxações mais altas de produtos importados adotadas por Trump, não é nova no Brics, mas essa será, no entanto, o primeiro comunicado conjunto após o início da guerra comercial que travam as duas maiores potências do planeta.

Crescimento
O ministro do Comércio e Indústria da África do Sul, Rob Davies, falou sobre as expectativas para a cúpula nesta terça. Davies exaltou o “enorme crescimento” da economia do Brics nos “últimos anos”, ressaltando que, em uma década, o bloco passou de 12% para 26% do PIB mundial.  Ele também defendeu “aprofundar e fortalecer a colaboração em nossos países”.

O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, será o primeiro chefe de estado a falar, seguido pelos presidentes do Brasil, Michel Temer, da China, Xi Jinping, e do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. O presidente russo Vladimir Putin não deve participar da primeira sessão e é esperado apenas na quinta-feira.





Por: Veja.com

Outras notícias

Comentários