anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Homem bêbado agride esposa com socos em Matupá

Homem bêbado agride esposa com socos em Matupá

access_time06/01/2023 05:37

A mulher, de 44 anos, que reside no bairro Cidade Alta, declarou aos investigadores da Polícia Civil

Artista de MT ganha prêmio internacional com pinturas realistas de animais do Pantanal

Artista de MT ganha prêmio internacional com pinturas realistas de animais do Pantanal

access_time29/08/2023 14:33

O artista plástico Petterson Silva, de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, foi escolhido para ser um p

Mulher é atacada por tubarão durante ensaio fotográfico; veja vídeo

Mulher é atacada por tubarão durante ensaio fotográfico; veja vídeo

access_time14/04/2023 15:24

Uma mulher foi mordida por um tubarão durante um ensaio fotográfico nas Maldivas. O ataque aconteceu

Juan Guaidó revela a verdade sobre a ditadura na Venezuela
Guaidó foi destituído do cargo, por manobra de governistas no Parlamento da Venezuela | Foto: Foto: Myles Cullen/Casa Branca

Juan Guaidó revela a verdade sobre a ditadura na Venezuela

Ex-presidente afirmou que o tratamento dado por Lula ao ditador legitima o regime chavista e afronta a democracia

access_time31/05/2023 10:47

chegada a Brasília do ditador da VenezuelaNicolás Maduro, pôs o país de volta nas manchetes dos jornais nesta semana. Maduro veio para firmar acordos bilaterais com o presidente Lula e participar de uma reunião da Unasul. O grupo reúne nações sul-americanas, entre elas, membros do Foro de São Paulo (atual Grupo de Puebla).

Na presença de Maduro, Lula aproveitou para cutucar Juan Guaidó. “Eu achava a coisa mais absurda do mundo, para as pessoas que defendem a democracia, negarem que você era presidente da Venezuela, tendo sido eleito pelo povo, e o cidadão Guaidó, que foi eleito para ser deputado, fosse reconhecido como presidente da Venezuela”, disse.

A reportagem, Guaidó rebateu os ataques do petista e discorreu sobre o atual cenário do país: perseguição a opositores, presos políticos, tortura de dissidentes e pobreza extrema. Agora em Miami, o ex-presidente, 39 anos, foi destituído do cargo em dezembro de 2022, depois de uma manobra de chavistas na Assembleia Nacional. “Lula apoia quem tortura opositores e legitima a ditadura na Venezuea”, disse Guaidó.

A seguir, os principais trechos da entrevista.

Como o senhor viu a visita do ditador Nicolás Maduro ao Brasil? E quanto aos ataques do presidente Lula direcionados a você?

A recepção a Maduro no Brasil é uma afronta à democracia. Lula me atacou para evitar o óbvio: ele é aliado de alguém conhecido por perseguir e torturar opositores, ser a favor do narcotráfico internacional e responsável pela maior crise de refugiados do continente. Por laços ideológicos e econômicos, o presidente Lula revitimiza o povo venezuelano ao não negar o caráter ditatorial de Maduro. Atitudes negacionistas de chefes de Estado são um aval para que indivíduos como Maduro continuem agindo com impunidade.

Qual a situação dos presos políticos na Venezuela?

Continuam sendo perseguidos e torturados. Essas pessoas são submetidas a choques elétricos, simulações de afogamentos e, em alguns casos, violência sexual. Há uma escalada de desumanidade em curso na Venezuela. O Tribunal Penal Internacional está investigando.

Durante a sua Presidência, o que o senhor fez para ajudar os venezuelanos?

Várias medidas. Durante a pandemia de covid-19, por exemplo, conseguimos estabelecer um sistema de transferência de recursos que garantiu equipamentos de saúde a hospitais, de modo a atender quem mais precisava. A ditadura de Maduro estava racionando esses objetos. Fizemos chegar ajuda humanitária à população. À época, conseguimos liberar US$ 20 milhões de fundos da Venezuela, valor esse que era produto de corrupção do regime e estava congelado no exterior, para fortalecer a ação da Caritas, da Cruz Vermelha e de outros grupos. Também me empenhei em facilitar o registro de entidades não governamentais para atuar sob a orientação das Nações Unidas.

A recepção a Maduro no Brasil é uma afronta à democracia

Com o fim do seu governo, como ficaram os bens da Venezuela no exterior antes administrados pelo senhor?

Continuam protegidos. A oposição permanece se esforçando para manter os recursos longe das garras da ditadura.

Países democráticos não têm acesso a todos os dados referentes à covid-19 na Venezuela. Como foi a pandemia para vocês?

Dados referentes à pandemia de covid-19, ao desemprego, à fome e à pobreza não são precisos. Há pouquíssima transparência, visto que os órgãos responsáveis por divulgá-los estão sob o controle de Maduro. Isso ajudou a ditadura a ocultar o que se passa de verdade no país e a divulgar uma imagem irreal do país lá fora.

Como o senhor vê a entrega de 1 milhão de hectares de terras agrícolas da Venezuela para o Irã, no ano passado?

Uma afronta não só à Venezuela, mas a todos os países da América Latina. Isso foi o pagamento de um favor ao Irã. Maduro usa aquele país para lavar dinheiro e traficar armas. Dessa forma, o ditador consegue driblar as sanções internacionais, como dos Estados Unidos, impostas em virtude do cometimento de violações que Maduro pratica contra a humanidade.

Com a saída de Donald Trump da Presidência, algo mudou entre a Venezuela e os Estados Unidos sob Joe Biden?

A relação se manteve praticamente a mesma.





Por: Cristyan Costa da Revista Oeste

Outras notícias

Comentários