ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Fluminense aproveita homem a mais e vence São Paulo com gol de Germán Cano

Fluminense aproveita homem a mais e vence São Paulo com gol de Germán Cano

access_time22/11/2023 22:57

O Fluminense bateu o São Paulo por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, 22, no Maracanã, em confronto

Médica que reside no Nortão e teve 70% do corpo queimado em explosão tem alta em SP

Médica que reside no Nortão e teve 70% do corpo queimado em explosão tem alta em SP

access_time15/09/2023 20:32

A médica Renata Fontoura, de 24 anos, que teve 70% do corpo queimado em uma explosão em Campos do Jo

Deputado português relata ameaça de seguranças de Lula

Deputado português relata ameaça de seguranças de Lula

access_time28/04/2023 12:50

André Ventura, deputado da Assembleia da República de Portugal pelo partido Chega, relatou ter sido

Justiça manda a júri popular acusado de beber e causar acidente com 4 mortes em Matupá

Justiça manda a júri popular acusado de beber e causar acidente com 4 mortes em Matupá

access_time26/03/2024 07:03

A Justiça de Matupá decidiu mandar a júri popular o motorista acusado de causar o acidente que resultou nas mortes de Ademir Ferreira dos Santos, Lennyelly Maria Menezes Julião, Eline Loiola Meneses e Ludmila Meneses Julião. A colisão ocorreu na véspera de Natal do ano de 2016, no quilômetro 1.037 da BR-163, em Matupá.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Estado (MPE), o acusado dirigia um Fiat Strada e seguia sentido Peixoto de Azevedo, quando houve a batida frontal com o VW Gol em que as vítimas e que trafegava na direção contrária. Lennyelly, Edilene e Ludmila morreram na hora. Ademir chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

A reportagem também teve acesso à denúncia, a qual aponta ainda que o motorista, “ao conduzir veículo automotor em situação de embriaguez, alinhada à ultrapassagem inquestionavelmente proibida, assumiu o risco de produção do resultado morte”. O acusado teve uma fratura na perna e ficou internado por 15 dias.

Conforme a decisão judicial, ele irá a júri popular por homicídio simples por quatro vezes. Ele não está preso e poderá recorrer da sentença.





Por: Redação Só Notícias (foto: assessoria)

Outras notícias

Comentários