ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Nortão almeja barreira sanitária por causa de alto número de casos de Covid-19 no estado vizinho

Nortão almeja barreira sanitária por causa de alto número de casos de Covid-19 no estado vizinho

access_time08/05/2020 19:08

Os prefeitos de cinco municípios de Mato Grosso que fazem divisa com o Pará, se reúnem nesta sexta-f

Como se explica a beleza da montanha de 7 cores que atrai multidões de turistas ao Peru

Como se explica a beleza da montanha de 7 cores que atrai multidões de turistas ao Peru

access_time30/06/2018 21:02

Cerca de 100 km a sudeste de Cusco, no Peru, existe um arco-íris em forma de montanha. É a Montanha

Centros comerciais são esvaziados em Samara, na Rússia, após ameaça de bomba, diz imprensa local

Centros comerciais são esvaziados em Samara, na Rússia, após ameaça de bomba, diz imprensa local

access_time28/06/2018 15:08

Três centros comerciais em Samara, uma das cidades-sede da Copa do Mundo da Rússia, foram esvaziados

Maduro diz que está pronto para conversar com a oposição e fala em antecipar eleições legislativas
Nicolás Maduro pede 20 anos de prisão para manifestantes violentos — Foto: Manaure Quintero/Reuters

Maduro diz que está pronto para conversar com a oposição e fala em antecipar eleições legislativas

Presidente venezuelano disse a uma agência russa que diálogo pode ter participação de mediadores internacionais. Na terça-feira, o Supremo congelou as contas e proibiu o opositor Juan Guaidó de deixar o país

access_time30/01/2019 06:52

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (30) que está pronto para dialogar com a oposição e se mostrou favorável à organização de eleições legislativas antecipadas para superar a crise política em seu país.

"Estou disposto a comparecer à mesa de negociações com a oposição, para falar sobre o bem da Venezuela, pela paz e seu futuro", declarou Maduro à agência de notícias russa RIA Novosti. A conversa poderia contar com a presença de mediadores internacionais.

Em seguida, ele destacou que "as eleições presidenciais aconteceram há menos de um ano, há 10 meses".

O apelo por eleições "livres e credíveis" foi feito pelo União Europeia logo depois de o presidente da Assembleia Nacional e líder da oposição, Juan Guaidó, autodeclarar-se presidente interino da Venezuela na quarta-feira (23).

Trump
Maduro disse ainda que está "disposto a discutir pessoalmente com Donald Trump, em público, nos Estados Unidos, na Venezuela, onde quiser, com qualquer programa" de debate.

Porém, considera "complicado atualmente" que isso aconteça, porque, segundo Maduro, o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, "proibiu Trump de iniciar o diálogo".

O chavista também expressou o reconhecimento ao presidente russo, Vladimir Putin, que apoia o seu governo. A Venezuela recebe a cada mês armamento russo, "o mais moderno do mundo", como parte dos acordos vigentes, destacou Maduro.

Apesar da situação econômica do país, a Venezuela continua pagando suas dívidas pontualmente a China e Rússia, seus principais credores, afirmou Maduro. "A Venezuela paga, sempre no prazo", disse.

A disposição de Maduro para conversar com os opositores foi divulgada horas depois de o Tribunal Supremo da Venezuela congelar as contas de Guaidó e proibir o opositor de deixar o país.

Mais cedo, Guaidó enviou uma mensagem pelo Twitter para a Suprema Corte venezuelana em resposta ao pedido do procurador, que solicitou o bloqueio de seus bens:

No domingo, Guaidó solicitou uma visita da alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, a ex-presidente chilena Michelle Bachelet.

Mais manifestações
Além disso, Guaidó convocou manifestações para esta quarta-feira (30) e sábado (2) com o objetivo de pedir o apoio dos militares a sua iniciativa de montar um governo provisório que conduza à realização de novas eleições. O autoproclamado presidente interino tem o respaldo dos Estados Unidos e de vários outros países.

Desde segunda-feira (21), o país enfrenta uma onda de protestos que já deixou 40 mortos e 850 detidos, em estimativa da ONU.





Por: G1

Outras notícias

Comentários