Spigreen
Notícias recentes
Nova Zelândia registra primeira morte por covid-19 em três meses

Nova Zelândia registra primeira morte por covid-19 em três meses

access_time04/09/2020 10:08

A Nova Zelândia registrou hoje a primeira morte provocada pelo novo coronavírus em mais de três mese

Indústria recua em 9 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE

Indústria recua em 9 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE

access_time08/05/2019 08:41

Nove dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tiveram q

Setor de abate de animais lidera ranking de acidentes de trabalho em MT, diz TRT

Setor de abate de animais lidera ranking de acidentes de trabalho em MT, diz TRT

access_time02/05/2018 19:20

Há seis anos, o setor de abate de animais é líder no ranking de acidente de trabalho em Mato Grosso,

Mais de 700 ligações clandestinas de energia são detectadas e prejuízo chega a R$ 8,4 milhões em MT
Ligação clandestina de energia. — Foto: Divulgação/ Policia Militar de Alenquer

Mais de 700 ligações clandestinas de energia são detectadas e prejuízo chega a R$ 8,4 milhões em MT

O estado recuperou R$ 958,8 mil em ICMS, pois a concessionária já faturou a energia que havia sido furtada pelos consumidores

access_time03/11/2018 15:28

Duas operações integradas entre as forças de segurança pública – Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil e Politec – com a Energisa, concessionária de energia elétrica, resultaram em 702 ocorrências de furtos de energia apenas nos municípios de Sorriso e Lucas do Rio Verde.

Os conhecidos 'gatos', feitos desde pessoas de baixa renda até fazendeiros, representaram um prejuízo de R$ 8,4 milhões. Com a operação, o estado recuperou R$ 958,8 mil em ICMS, pois a concessionária já faturou a energia que havia sido furtada pelos consumidores.

A Operação Sorriso 1 foi realizada de 14 a 16 de agosto, um mês após a assinatura do Termo de Cooperação entre a Energisa e Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). Apenas em uma propriedade rural foi observado que o furto de energia atingiu R$ 1,015 milhão. Além da concessionária de energia, viaturas da PM, PJC e peritos da Politec chegaram na propriedade no período noturno e constataram que o proprietário ligava o ‘gato’ no período da noite.

De 25 a 27 de setembro foi realizada a Operação Sorriso 2, onde foram constatadas mais fraudes nos relógios medidores em mais fazendas de grãos e em condomínios de alto padrão. Em uma das mansões, o proprietário pagava apenas R$ 180 de energia, embora a casa tivesse várias instalações de ar-condicionado.

Uma fazenda, até com praia artificial, furtou durante 6 meses R$ 1,018 milhão na conta de energia elétrica. Isso significa que cerca de R$ 400 mil em ICMS deixou de entrar na conta do estado.

A Energisa estima que anualmente a concessionária tem uma perda de R$ 260 milhões com os famosos ‘gatos’ e o Estado de Mato Grosso deixa de arrecadar R$ 50 milhões em ICMS, que poderia ser utilizado em benefícios à própria população.

Além de furtar recursos públicos em impostos e deixar de pagar a conta de energia na integralidade, quem faz ‘gato’ ainda coloca em risco à própria família e vizinhos há riscos de incêndio e a choque elétrico com instalações malfeitas, pois nem todos tem acesso a pagar por fraudes no relógio com tamanha tecnologia vista durante as operações em Sorriso 1 e 2.

O furto de energia é um crime previsto no artigo 155 do Código Penal, com previsão de pena de um a quatro anos de reclusão, além de pagamento de multa.





Por: Por G1 MT

Outras notícias

Comentários