Spigreen
Notícias recentes
Novo Mundo avança em 17 meses da atual administração

Novo Mundo avança em 17 meses da atual administração

access_time21/06/2018 15:06

Após dezessete (17) meses de mandato, o prefeito de Novo Mundo Antônio Mafini fez balanço positivo d

Consórcio Intermunicipal de Saúde adquiriu veículo 0 km

Consórcio Intermunicipal de Saúde adquiriu veículo 0 km

access_time16/05/2019 09:07

O Prefeito de Peixoto de Azevedo e Presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Peixot

Em Buenos Aires, Guaidó defende mobilização em favor da democracia

Em Buenos Aires, Guaidó defende mobilização em favor da democracia

access_time02/03/2019 08:16

Em visita a Buenos Aires, o autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, apelou hoje

Mato Grosso é 5º Estado que mais investiu em saúde pública no país
Considerando os investimentos dos estados, Mato Grosso está entre os melhores desempenhos e figura com R$ 82,36 a mais do que a média estadual no Brasil - Foto por: Tchélo Figueiredo | Secom-MT

Mato Grosso é 5º Estado que mais investiu em saúde pública no país

Ranking nacional divulgado pelo CFM aponta que, com investimento de R$ 3,75 por dia, MT é o quinto Estado que mais gastou com saúde por habitante em 2019

access_time19/10/2020 17:53

O Estado de Mato Grosso aparece em 5º lugar no ranking nacional de investimentos na saúde pública divulgado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que considera a atuação da União, dos Estados e Municípios.

A colocação se deve ao fato de Mato Grosso ter priorizado investimentos em saúde por habitante no ano de 2019, na ordem de R$ 3,75 por dia e por pessoa – o que equivale a R$ 1.370,68 per capita total por ano.

No período analisado pelo Conselho, o Governo do Estado também investiu mais do que a União, cujo valor médio repassado foi na ordem de R$ 378,60 per capita, enquanto a fonte de recursos estaduais chegou ao valor médio per capita de R$ 448,58 por ano.

De acordo com o CFM e considerando especificamente o gasto estadual, Mato Grosso está entre os melhores desempenhos e figura com R$ 82,36 a mais do que a média estadual no Brasil, que é de R$ 366,22.

“No primeiro ano da atual gestão, foi possível notar que os investimentos na área da Saúde foram reais e palpáveis. Modernizamos grande parte das estruturas que tínhamos e demos início a outros diversos projetos de ampliação, reforma e reestruturação. Acreditamos que, com muito investimento, a Saúde funciona da forma como deve e o cidadão conta com um serviço de qualidade”, disse o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

O levantamento analisou os dados disponíveis no Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP), administrado pelo Ministério da Saúde.

Investimentos em Saúde Pública

De acordo com dados da Superintendência de Obras, Reformas e Manutenções da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), somente no período de julho de 2019 a setembro deste ano, o Governo de Mato Grosso já investiu cerca de R$ 40 milhões de reais em unidades regionais de saúde contempladas com reformas, reparos, adequações, modernizações e construções novas.

São investimentos iniciados e concluídos pela atual gestão que, em menos de dois anos, modernizou o Hospital Estadual Santa Casa, o Hospital Metropolitano e cinco Hospitais Regionais nas cidades de Sinop, Alta Floresta, Rondonópolis, Peixoto de Azevedo e Cáceres; além dos Escritórios Regionais de Saúde de Alta Floresta, Sinop e Peixoto de Azevedo e do investimento na nova sede do Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE), localizado na capital.

A SES ainda prevê o investimento de R$ 14,1 milhões na reforma total e ampliação do Hospital Adauto Botelho e de aproximadamente R$ 8 milhões na obra do Hospital Regional de Sorriso, que já estão em execução.

O Governo também destinará cerca de R$ 113 milhões para a conclusão e ampliação do Hospital Central, que está em fase de licitação.

Per Capita Total

Os montantes analisados pelo CFM resultam da soma de recursos de impostos e transferências constitucionais da União a cada uma das unidades federativas e do que é dispensado também pelos Estados e Municípios, com recursos próprios para o pagamento de despesas em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS).

Essas despesas são voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde e atendem, simultaneamente, aos princípios da Lei Orgânica da Saúde.





Por: Rose Velasco e Ana Lazarini | SES-MT

Outras notícias

Comentários