ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Jornal sugere ao governo Lula caçar os não vacinados

Jornal sugere ao governo Lula caçar os não vacinados

access_time04/01/2023 06:29

Em editorial publicado na segunda-feira 2, O Globo recomendou ao presidente Lula (PT) “buscar os não

Governo compra insulina de laboratório da China sem registro na Anvisa

Governo compra insulina de laboratório da China sem registro na Anvisa

access_time15/05/2023 08:40

O Ministério da Saúde, sob o comando de Nísia Trindade, está deixando os Estados sem estoque de insu

Polícia Militar prende casal com pistola e porções de maconha em Peixoto de Azevedo

Polícia Militar prende casal com pistola e porções de maconha em Peixoto de Azevedo

access_time28/02/2024 11:24

Policiais militares do 22º Batalhão prenderam um homem e uma mulher, ambos de 36 anos, por tráfico d

Ministro da Defesa diz que não permitirá ‘em hipótese nenhuma’ que Maduro use o Brasil para invadir a Guiana
Foto: Agência Brasil

Ministro da Defesa diz que não permitirá ‘em hipótese nenhuma’ que Maduro use o Brasil para invadir a Guiana

Segundo o ministro da Defesa, orientação do governo é não se envolver no conflito; Forças Armadas brasileiras reforçam efetivo em Roraima, próximo a fronteira com os dois países

access_time11/12/2023 18:36

O ministro da Defesa, José Múcio, afirmou nesta segunda-feira, 11, que o Brasil não se envolverá em um possível conflito entre Venezuela e Guiana, nem permitirá que tropas venezuelanas atravessem seu território para chegar ao país vizinho. A declaração foi feita durante um almoço com jornalistas no comando da Marinha. Segundo o ministro, a questão é tratada pela diplomacia e cabe à Defesa garantir a integridade do território nacional. Múcio também mencionou que já havia planos de aumentar a presença das Forças Armadas em Roraima, mas a situação atual acelerou esse processo. Atualmente, existem 20 blindados e 150 soldados na região, e a tendência é que esse número aumente um pouco. A declaração ocorre no momento em que os dois países em meio a uma disputa territorial entre os países. “O Brasil não vai se envolver em hipótese nenhuma. O presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) dá consciência disso e nós já reforçamos. Já era ideia nossa reforçar Roraima porque Roraima tem o problema dos índios, problema dos garimpeiros, problema de drogas, problema de todo mundo. Evidentemente, que precipitamos e estamos aumentando o contingente lá em um tempo mais curto para evitar qualquer problema”, disse o ministro da Defesa.

Por mais de um século, Venezuela e Guiana disputam o território de Essequibo. Sob controle guianense desde o fim do século 19, a região abriga 125 mil pessoas. Ambos os países reivindicam direitos baseados em documentos internacionais. A Guiana sustenta sua propriedade com base em um laudo de 1899, emitido em Paris, que estabeleceu as fronteiras atuais quando a Guiana era um território britânico. A Venezuela alega a posse com base em um acordo de 1966 com o Reino Unido, antes da independência da Guiana, anulando o laudo arbitral e estabelecendo bases para uma solução negociada. O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, baixou o tom e disse que espera “sentar e conversar” sobre Essequibo. “A Guiana e a ExxonMobil terão que dialogar conosco. Queremos paz e compreensão”, afirmou o líder venezuelano.





Por: Jovem Pan

Outras notícias

Comentários