anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Advogados são presos, filmam abordagem e denunciam truculência da PM

Advogados são presos, filmam abordagem e denunciam truculência da PM

access_time24/01/2023 11:58

Dois advogados de Cuiabá registraram um boletim de ocorrência contra policiais militares, na noite d

Pacheco ajuda Lula e adia sessão para instalar CPMI do 8 de janeiro

Pacheco ajuda Lula e adia sessão para instalar CPMI do 8 de janeiro

access_time18/04/2023 16:54

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), rasgou sua palavra e adiou a sessão do Congresso N

Motorista é preso com revólver e entorpecentes na BR-163 no Nortão

Motorista é preso com revólver e entorpecentes na BR-163 no Nortão

access_time13/01/2023 17:26

Um motorista foi detido pela Polícia Rodoviária Federal, ontem à noite, durante fiscalização na BR-1

Moraes: ‘Big techs vão ser enquadradas e responsabilizadas’
O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, durante a abertura do 10º Encontro Nacional das Escolas Judiciárias Eleitorais, promovido pela Corte - 10/05/2023 | Foto: Reprodução/YouTube

Moraes: ‘Big techs vão ser enquadradas e responsabilizadas’

Presidente do TSE deu declaração um dia depois de o Telegram se manifestar contra o PL 2630

access_time10/05/2023 11:06

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, subiu o tom com as big techs, nesta quarta-feira, 10. Durante o 10º Encontro Nacional das Escolas Judiciárias Eleitorais do TSE, o ministro disse que “há corporações que se sentem acima da lei”.

“As big techs, as plataformas e as milícias digitais foram enquadradas e serão penalizadas e responsabilizadas”, disse. “Isso é garantir a liberdade do eleitor, o sigilo do voto. É impedir que ele seja bombardeado com desinformação e tenha uma verdadeira lavagem cerebral, direcionando o seu voto. O que importa é que ninguém, nem as milícias digitais, nem as grandes corporações podem direcionar o voto do eleitor.”

Recado de Moraes a big techs veio um dia depois de posicionamento do Telegram

TelegramFoto: Divulgação

Em um artigo publicado na tarde de ontem, o Telegram acusa o PL 2630 de ameaçar a democracia no Brasil. No documento, a empresa lista uma série de argumentos contra o que pode “matar a internet moderna”. “Caso seja aprovado, empresas como o Telegram podem ter de deixar de prestar serviços no Brasil”, advertiu o serviço de mensagens instantâneas.

Na semana passada, o projeto saiu da pauta da Câmara dos Deputados, por falta de votos e em virtude da pressão popular.

De autoria do senador Alessandro Vieira (PSDB-RS), o texto é relatado pelo deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP). A versão inicial apresentava alguns tópicos polêmicos, que foram retirados posteriormente, entre eles, a existência de um órgão regulador para checar supostas notícias falsas. Na internet, internautas compararam a iniciativa ao Ministério da Verdade, que aparece no livro 1984, do escritor George Orwell.





Por: Cristyan Costa da Revista Oeste

Outras notícias

Comentários