anuncie aqui
Notícias recentes
Bolsonaro recebe em casa assessor de Segurança Nacional dos EUA

Bolsonaro recebe em casa assessor de Segurança Nacional dos EUA

access_time29/11/2018 12:47

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, se reuniu na manhã desta quinta-feira (29) com o Conselheiro de

Álcool e cigarro continuam sendo os piores vilões

Álcool e cigarro continuam sendo os piores vilões

access_time17/05/2018 08:04

A mais recente pesquisa sobre álcool e fumo saiu há uma semana e não deixa dúvidas: entre as drogas

Congonhas e mais 4 aeroportos só têm combustível para hoje, diz Infraero

Congonhas e mais 4 aeroportos só têm combustível para hoje, diz Infraero

access_time23/05/2018 16:30

Um relatório da Infraero de 11h09 aponta que os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e os de Palma

MT ocupa o 9º lugar do país no ranking de apreensões de cigarro contrabandeado
Carga de cigarro apreendida em MT — Foto: PRF-MT/Divulgação

MT ocupa o 9º lugar do país no ranking de apreensões de cigarro contrabandeado

Municípios com maior aumento do mercado ilegal de cigarros, no estado, são Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Sorriso e Rondonópolis

access_time22/05/2019 10:11

O estado de Mato Grosso ocupa o 9º lugar no país no ranking de apreensões de cigarros contrabandeados, segundo dados do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial em parceria com a Receita Federal. Os dados são referentes a 2018.

Na região Centro-oeste, Mato Grosso responde por 56% do comércio ilegal de cigarros. Tanto no ranking nacional, quanto no regional, Mato Grosso do Sul está em primeiro lugar na absorção de produtos contrabandeados, em especial, o cigarro.

Os municípios com maior aumento do mercado ilegal de cigarros, em Mato Grosso, são Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Sorriso e Rondonópolis.

Em nível nacional, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo representam 70% do total de cigarros apreendidos.

De acordo com o levantamento, as principais causas para a ocorrência do crime e absorção do produto ilegal, são a alta carga tributária e a tolerância em relação ao crime de descaminho.

Os fatores que dificultariam o crescimento do comércio ilegal de cigarros, segundo o Instituto seriam a revisão de tributos e de leis (no tocante às punições aos envolvidos neste tipo de crime), aumento da fiscalização, por meio dos investimentos em segurança pública (através da aquisição de equipamentos, integração entre as forças de segurança e na carreira do profissional).

Embora haja um consumo significativo em Mato Grosso, o Instituto esclarece que o estado não faz parte da rota de contrabando, já que a maior parte dos produtos contrabandeados são oriundos do Paraguai.

No caso de Mato Grosso, a fronteira é com a Bolívia e, de acordo com o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), o principal problema na região fronteiriça é o tráfico de drogas.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários