Kurupí
Notícias recentes
Casal é preso após se recusar a desligar som alto em Peixoto de Azevedo

Casal é preso após se recusar a desligar som alto em Peixoto de Azevedo

access_time28/01/2019 14:04

Um casal foi detido neste final de semana por perturbar o sossego alheio em Peixoto de Azevedo. A

Temer vai ao Chile para assinar acordo de livre comércio

Temer vai ao Chile para assinar acordo de livre comércio

access_time21/11/2018 08:05

O presidented da República, Michel Temer, viajou hoje (21) para Santiago, no Chile, onde fica até a

Falta de chuva pode determinar bandeira vermelha até novembro, diz ONS

Falta de chuva pode determinar bandeira vermelha até novembro, diz ONS

access_time09/08/2018 08:34

O diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse hoje (8)

MT ocupa o 9º lugar do país no ranking de apreensões de cigarro contrabandeado
Carga de cigarro apreendida em MT — Foto: PRF-MT/Divulgação

MT ocupa o 9º lugar do país no ranking de apreensões de cigarro contrabandeado

Municípios com maior aumento do mercado ilegal de cigarros, no estado, são Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Sorriso e Rondonópolis

access_time22/05/2019 10:11

O estado de Mato Grosso ocupa o 9º lugar no país no ranking de apreensões de cigarros contrabandeados, segundo dados do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial em parceria com a Receita Federal. Os dados são referentes a 2018.

Na região Centro-oeste, Mato Grosso responde por 56% do comércio ilegal de cigarros. Tanto no ranking nacional, quanto no regional, Mato Grosso do Sul está em primeiro lugar na absorção de produtos contrabandeados, em especial, o cigarro.

Os municípios com maior aumento do mercado ilegal de cigarros, em Mato Grosso, são Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Sorriso e Rondonópolis.

Em nível nacional, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo representam 70% do total de cigarros apreendidos.

De acordo com o levantamento, as principais causas para a ocorrência do crime e absorção do produto ilegal, são a alta carga tributária e a tolerância em relação ao crime de descaminho.

Os fatores que dificultariam o crescimento do comércio ilegal de cigarros, segundo o Instituto seriam a revisão de tributos e de leis (no tocante às punições aos envolvidos neste tipo de crime), aumento da fiscalização, por meio dos investimentos em segurança pública (através da aquisição de equipamentos, integração entre as forças de segurança e na carreira do profissional).

Embora haja um consumo significativo em Mato Grosso, o Instituto esclarece que o estado não faz parte da rota de contrabando, já que a maior parte dos produtos contrabandeados são oriundos do Paraguai.

No caso de Mato Grosso, a fronteira é com a Bolívia e, de acordo com o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), o principal problema na região fronteiriça é o tráfico de drogas.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários