Spigreen
Notícias recentes
Lollapalooza Brasil é adiado para dezembro de 2020 por causa do coronavírus

Lollapalooza Brasil é adiado para dezembro de 2020 por causa do coronavírus

access_time14/03/2020 07:27

O Lollapalooza Brasil, festival que aconteceria nos dias 3, 4 e 5 de abril no Autódromo de Interlago

Justiça manda Campo Grande receber pacientes de Cuiabá

Justiça manda Campo Grande receber pacientes de Cuiabá

access_time16/07/2020 08:35

Decisão judicial em caráter liminar, do TJMT (Tribunal de Justiça do Mato Grosso), determina que Cam

Mais de 700 ligações clandestinas de energia são detectadas e prejuízo chega a R$ 8,4 milhões em MT

Mais de 700 ligações clandestinas de energia são detectadas e prejuízo chega a R$ 8,4 milhões em MT

access_time03/11/2018 15:28

Duas operações integradas entre as forças de segurança pública – Polícia Militar, Polícia Judiciária

MT terá reajuste de 11,29% na tarifa de energia elétrica
Padrão registrador do consumo de energia — Foto: Marcos Vergueiro

MT terá reajuste de 11,29% na tarifa de energia elétrica

Anúncio foi feito pela concessionária, na segunda-feira (2) e um dos fatores que ocasionaram o aumento foi a compra de energia de usinas térmicas. Compra foi impulsionada pelo aumento no consumo, segundo diretor-presidente de distribuidora

access_time04/04/2019 08:17

A concessionária de energia elétrica de Mato Grosso anunciou, na terça-feira (2), o reajuste de 11,29% na tarifa. O novo percentual passa a valer a partir de 8 de abril, entretanto, os consumidor só vai sentir o impacto da conta a partir de maio.

De acordo com o diretor-presidente da concessionária, Riberto José Barbanera, um dos fatores que ocasionaram o aumento foi a compra de energia de usinas térmicas. Essa compra, que antes era menor, foi impulsionada pelo aumento no consumo.

"A expansão das cidades, a aquisição de eletrodomésticos e eletrônicos contribuem para o aumento do consumo, consequentemente, maior o volume de energia a ser comprado, e aí compra-se de quem tem para vender, neste caso, as usinas térmicas, à base de petróleo, que tem um custo mais alto", explicou ele.

Em razão desses fatores, os custos para compra de energia por parte de distribuidora ficou mais alto em 2018 e tende a continuar elevado em 2019.

"Essa transação é responsável por 10,45% do reajuste da tarifa. Além disso, temos um percentual de 0,13% referente ao transporte e 3,02% que é a parte da distribuição", destacou.

No entanto, segundo ele, para amenizar o impacto da tarifa na conta do consumidor, são retirados os encargos setoriais, que correspondem a 2,31%. Logo, essa conta toda implica num reajuste tarifário de 11,29%.

Dessa forma, segundo a concessionária, o impacto deste percentual na fatura de energia vai ser maior ou menor, de acordo com o comportamento de consumo de casa cidadão.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários