ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Começa hoje pagamento do abono salarial da iniciativa privada

Começa hoje pagamento do abono salarial da iniciativa privada

access_time08/02/2022 10:23

Começa hoje (8) o pagamento do abono salarial para os trabalhadores da inciativa privada, ano-base 2

Adolescentes são apreendidos em Cuiabá com maquiagens furtadas avaliadas em R$ 40 mil

Adolescentes são apreendidos em Cuiabá com maquiagens furtadas avaliadas em R$ 40 mil

access_time18/02/2019 08:23

Dois adolescentes de 14 e 17 anos foram apreendidos em Cuiabá, no sábado (16), com produtos de maqui

Autor de homicídio de ex-namorado é preso pela Polícia Civil na zona rural de Novo Mundo

Autor de homicídio de ex-namorado é preso pela Polícia Civil na zona rural de Novo Mundo

access_time28/10/2021 08:13

A Polícia Civil em Guarantã do Norte prendeu nesta quarta-feira (27.10) o autor do homicídio que vit

Operação prende policiais acusados de integrar quadrilha
Mandados são cumpridos pelo Gaeco e Polícia Civil

Operação prende policiais acusados de integrar quadrilha

Ao todo, são cumpridos 44 ordens judiciais, sendo que 22 delas são de prisão preventiva

access_time04/05/2021 09:33

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Civil deflagraram, na manhã desta terça-feira (4), a Operação Renegados, que visa dar cumprimento a 44 ordens judiciais, sendo 22 delas de prisão preventiva.

O objetivo é desarticular uma suposta organização criminosa composta, entre outros membros, por policiais civis e militares, além de informantes.

A ação conta com o apoio Polícia Militar e do Ciopaer e é baseda em Procedimento de Investigação Criminal (PIC) instaurado no Gaeco e inquéritos instaurados pela Corregedoria Geral da Policial Civil.

Segundo o Gaeco, os elementos informativos e provas colhidos demonstraram que o grupo era comandado por um policial da ativa.

De acordo com a investigação, ele se utilizava  de técnicas de investigação com o uso de equipamentos da Polícia Civil para facilitar e encobrir as ações criminosas do grupo.

Outra situação que o ajudava, segundo o Gaeco, era o fato de ser chefe de operação de uma Delegacia da Capital.

As ações envolvem a prática de crimes graves como concussão, corrupção, peculato, roubo e tráfico.

"O Ministério Público e a Polícia Civil comungam esforços para combater os que desonram sua missão institucional e renegam a nobre missão do combate à corrupção e criminalidade. A lei é para todos", disseram por meio de nota.





Por: Midia News

Outras notícias

Comentários