ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Jovem é preso com diversas porções de droga na região central de Matupá

Jovem é preso com diversas porções de droga na região central de Matupá

access_time12/01/2023 09:14

O suspeito, de 22 anos, foi detido por policiais militares, ontem à noite, ao ser pego traficando en

PM por determinação do STF desmonta acampamento de manifestantes na 13ª Brigada do Exército em Cuiabá

PM por determinação do STF desmonta acampamento de manifestantes na 13ª Brigada do Exército em Cuiabá

access_time10/01/2023 10:09

O acampamento montado em frente à 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, localizada na Avenida Histor

Uber pede ao STF suspensão de processos sobre vínculo entre motoristas de aplicativos e plataformas

Uber pede ao STF suspensão de processos sobre vínculo entre motoristas de aplicativos e plataformas

access_time04/03/2024 21:04

A Uber solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) nesta segunda-feira (4) a suspensão dos processos

Pacheco cobra retratação de Lula por comparação entre a operação de Israel em Gaza e o Holocausto
Rodrigo Pacheco comanda sessão do Senado nesta terça-feira, 20(foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Pacheco cobra retratação de Lula por comparação entre a operação de Israel em Gaza e o Holocausto

Presidente do Senado destacou posição do petista como líder global, mas chamou fala de ‘equivocada’ e declarou que busca ‘pacificação’

access_time20/02/2024 18:35

Numa sessão acalorada no Senado na terça-feira, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pediu que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se retrate da comparação do conflito entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza com o Holocausto. Pacheco, enfatizando a gravidade das declarações de Lula, afirmou que tais analogias são injustificáveis, independentemente da força da resposta militar de Israel. “Uma comparação entre a situação atual em Gaza e o Holocausto, não importa o contexto, é inadequada e requer uma retratação”, afirmou o senador, destacando o papel de Lula como líder global conhecido por promover o diálogo e a paz entre as nações.

O debate se desenrolou à medida que as tensões aumentavam em torno dos comentários de Lula, que receberam condenação rápida das autoridades israelenses. O senador Omar Aziz (PSD-AM) levantou-se em defesa do petista, desafiando Pacheco a caracterizar os eventos em Gaza. “Vossa excelência poderia me tipificar o que está acontecendo lá, com a morte de 10 mil crianças e mulheres, e até agora, quantos terroristas do Hamas — porque são terroristas — foram mortos ou presos pelo Estado de Israel?”, questionou o amazonense. A intervenção dele destacou a complexidade do conflito Israel-Palestina, levando Pacheco a discursar sobre o equilíbrio entre condenação e diplomacia.

“Ao reconhecer a necessidade de paz e reconciliação, é imperativo reconhecer a sensibilidade de equiparar qualquer conflito contemporâneo ao Holocausto”, reiterou Pacheco, tentando dissipar as tensões no plenário do Senado. Ele destacou que seu discurso não tem a intenção de repreender o chefe do Executivo. “Não há de minha parte nenhum tom de polemização, tampouco de reprimenda ao presidente da República. É apenas uma conclamação na busca de pacificação e de reconhecimento na parte em que há comparação de qualquer acontecimento desta natureza com o Holocausto do povo judeu. É algo absolutamente indevido e impróprio e que mereceria um pedido de retratação e de desculpas.”

Os comentários de Lula ecoaram além das fronteiras brasileiras, levando Israel a declará-lo “persona non grata”. O governo israelense convocou o embaixador brasileiro no país, Frederico Meyer, para uma reprimenda, o que desagradou ao Itamaraty. Em resposta, o Palácio do Planalto chamou Meyer de volta e também se reuniu com o embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine. Segundo apuração da Jovem Pan, Lula não está disposto a pedir desculpas por seus comentários.





Por: Jovem Pan

Outras notícias

Comentários