Banner Outras
Notícias recentes
Roraima oferecerá ônibus para levar venezuelanos de volta para casa

Roraima oferecerá ônibus para levar venezuelanos de volta para casa

access_time21/09/2018 07:37

A governadora de Roraima Suely Campos firmou um acordo com Nicolás Maduro para ajudá-lo a repatriar

Unidades de saúde de Peixoto têm tratamento gratuito para tabagismo

Unidades de saúde de Peixoto têm tratamento gratuito para tabagismo

access_time14/08/2018 16:37

As Unidades de Saúde do município de Peixoto de Azevedo, oferece gratuitamente o tratamento para o t

Tailândia: garotos resgatados hoje estão mais saudáveis do que os de ontem

Tailândia: garotos resgatados hoje estão mais saudáveis do que os de ontem

access_time09/07/2018 19:11

Os quatro meninos que foram resgatados nesta segunda-feira (9) da caverna de Tham Luang, no norte da

Papa denuncia a prostituição como 'doença da humanidade'
Papa Francisco, em imagem de arquivo — Foto: Andreas Solaro/Pool via REUTERS

Papa denuncia a prostituição como 'doença da humanidade'

'Ninguém pode ser colocado à venda', disse o pontífice no prefácio de um livro

access_time29/07/2019 08:31

A prostituição é uma "doença da humanidade", estimou o Papa Francisco no prefácio de um livro, no qual se refere a "um vício repugnante" que reduz as mulheres a escravas, segundo um texto publicado nesta segunda-feira (29) no jornal italiano "La Repubblica"

"Qualquer forma de prostituição é uma redução à escravidão, um ato criminoso, um vício repugnante que confunde fazer amor com os instintos de alguém torturando uma mulher sem defesa", denuncia no prólogo de um livro do padre Aldo Buonaiuto, sacerdote da Comunidade Papa João XXIII, uma associação de caridade católica que acolhe pobres, prostitutas e adolescentes.

"Ninguém pode ser colocado à venda", afirma o pontífice.

"[A prostituição] É uma doença da humanidade, um modo equivocado de pensar a sociedade. Libertar esses pobres escravos é um gesto de misericórdia e um dever para todos os homens de boa vontade. O seu grito de dor não pode deixar indiferentes os indivíduos e instituições", adverte Francisco.

"Ninguém deve olhar para o outro lado ou lavar as mãos do sangue inocente derramado nas ruas do mundo", conclui o soberano pontífice.

O papa também relata que visitou um abrigo da Comunidade do Papa João XXIII para encontrar mulheres "crucificadas". Ele explica que pediu desculpas "pela tortura que tiveram que suportar por causa de clientes, muitos dos quais se definem como cristãos".





Por: France Presse

Outras notícias

Comentários