anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Briga de casal termina com morte do marido em Peixoto de Azevedo

Briga de casal termina com morte do marido em Peixoto de Azevedo

access_time27/07/2020 07:33

O casal discutiu na casa de parentes e a briga intensificou ao chegarem em casa na rua Ministro Césa

Homem é preso suspeito de comercializar drogas na frente do filho de 5 anos

Homem é preso suspeito de comercializar drogas na frente do filho de 5 anos

access_time28/09/2019 10:12

Um homem de 34 anos, cuja identidade não foi divulgada, foi preso, nessa sexta-feira (27), suspeito

Marido confessa ter matado mulher com tábua de carne enquanto vítima dormia e é liberado

Marido confessa ter matado mulher com tábua de carne enquanto vítima dormia e é liberado

access_time24/09/2018 14:15

O marido da jovem Erica Oliveira Gomes, de 22 anos, encontrada morta dentro de casa no dia 19 deste

PEC em tramitação na ALMT quer impedir promotores e procuradores de entrarem com ações contra autoridades

PEC em tramitação na ALMT quer impedir promotores e procuradores de entrarem com ações contra autoridades

Pela proposta, apenas o procurador-geral de Justiça pode propor ações civis públicas de improbidade administrativa contra autoridades, entre elas os deputados

access_time15/06/2021 17:50

Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), em tramitação na Assembleia Legislativa de MT, quer limitar o poder de atuação do Ministério Público Estadual. O projeto impede os promotores e procuradores de Justiça de proporem ações civis públicas de improbidade administrativa contra autoridades, entre elas os deputados. O projeto é de autoria de lideranças partidárias.

Pela PEC, só o procurador-geral de Justiça tem a prerrogativa de investigar o governador do estado, os secretários de estado, o procurador-geral do estado, o controlador-geral do estado, os membros do Ministério Público Estadual, os magistrados e os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Nesta terça-feira (15), a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) deu parecer contrário à aprovação. No parecer, a CCJR avalia que a proposta é inconstitucional.

"A presente PEC é formalmente inconstitucional posto que usurpada in casu a iniciativa reservada pela Constituição da República ao presidente da República para tratar sobre normas gerais para a organização do Ministério Público e, na mesma medida, pelo fato da PEC em comento versar sobre matéria reservada a lei complementar de iniciativa do chefe do Ministério Público Estadual", diz trecho do parecer.

A PEC usa base argumentativa uma decisão de 2010 do Supremo Tribunal Federal (STF), no julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) de Mato Grosso do Sul, onde "o Tribunal Pleno, por maioria, julgou improcedente a ação, cassando a liminar anteriormente concedida".

Agora, com o parecer da Comissão de Constituição e Justiça, a proposta segue para análise em plenário.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários