ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Cresce índice de mulheres que se tornam mães dos 30 aos 39 anos

Cresce índice de mulheres que se tornam mães dos 30 aos 39 anos

access_time09/12/2020 08:18

Entre 2000 e 2019, o número de nascidos no estado de São Paulo diminuiu de 699,4 mil para 580,2 mil,

Vacina da Pfizer/BioNTech evitou todos os casos sintomáticos de Covid com variante sul-africana, dizem fabricantes

Vacina da Pfizer/BioNTech evitou todos os casos sintomáticos de Covid com variante sul-africana, dizem fabricantes

access_time01/04/2021 11:15

   É o primeiro resultado deste tipo a ser divulgado contra essa variante, mas especialista ressalta

Mãe tem surto, faz bebê de 10 meses refém com faca, é sedada e levada à UPA em MT

Mãe tem surto, faz bebê de 10 meses refém com faca, é sedada e levada à UPA em MT

access_time04/03/2020 14:33

Uma mulher teve um surto psicótico e fez a própria filha, de 10 meses, refém na noite dessa terça-fe

Petrobras quer vender mais ativos de exploração e produção
© Geraldo Falcão / Agência Petrobras

Petrobras quer vender mais ativos de exploração e produção

Decisão foi tomada devido à crise provocada pela pandemia

access_time15/09/2020 07:41

A Petrobras anunciou que pretender vender mais ativos relacionados à exploração e produção, retirada de petróleo e gás do subsolo. A decisão foi tomada devido à crise provocada pela pandemia de covid-19.

A estatal informou, por meio de nota divulgada na noite de ontem (15), que quer focar mais nos ativos de classe mundial, em águas profundas e ultraprofundas, como os campos do pré-sal, com destaque para Búzios, mas não detalhou que ativos (campos e plataformas) devem ser incluídos em seu plano de desinvestimento. O anúncio deve ser feito após a aprovação do Plano Estratégico 2021-2025, no fim de novembro.

A Petrobras já iniciou a venda de campos terrestres e daqueles em águas rasas. “A revisão do portfólio está de acordo com as premissas de preço divulgadas nos resultados do primeiro trimestre. Além disso, foram consideradas as seguintes diretrizes: (a) foco na desalavancagem, atingindo a meta de dívida bruta de US$ 60 bilhões em 2022; (b) foco na resiliência, priorizando projetos com breakeven de preço de Brent de no máximo US$ 35/ barril e aderentes à estratégia da companhia e; (c) revisão de toda a carteira de investimentos e desinvestimentos”, informa nota da empresa.

A venda desses novos ativos deve reduzir os gastos com bens de capital (Capex) em US$ 14 a 24 bilhões, em relação aos US$ 64 bilhões informados no Plano Estratégico de 2020-2024.





Por: Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Outras notícias

Comentários