anuncie aqui
Notícias recentes
Professor do IFMT é encontrado morto nu em cama e 3 jovens são detidos suspeitos do crime

Professor do IFMT é encontrado morto nu em cama e 3 jovens são detidos suspeitos do crime

access_time20/11/2018 13:44

Um professor do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) foi encontrado morto na casa dele em Juína/M

Ataque de porcos selvagens destrói 15% de lavoura de milho de produtor em MT

Ataque de porcos selvagens destrói 15% de lavoura de milho de produtor em MT

access_time04/06/2018 08:06

Um ataque de porcos do mato destruiu 15% da lavoura de milho de um produtor em Água Boa, a 736 km de

Enem tem menor percentual de faltantes desde 2009

Enem tem menor percentual de faltantes desde 2009

access_time05/11/2018 07:09

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve o menor percentual de faltantes desde 2009, de acordo c

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão na casa de ex-prefeito de Peixoto de Azevedo

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão na casa de ex-prefeito de Peixoto de Azevedo

access_time12/03/2019 15:52

Policiais civis da delegacia regional de Guarantã do Norte e servidores do Ministério Público cumpriram, esta manhã, mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito de Peixoto de Azevedo, Edmar Heller.

Um investigador confirmou, que a operação investiga o possível envolvimento de Heller na criação de empresas ‘laranjas’ para favorecimento em licitações. O objetivo da busca é apreender documentos. Ainda não foi confirmado se há mandado de prisão.

Heller foi prefeito de Peixoto em 2000. Ele teve o mandato cassado após ser acusado de desvio de recursos públicos, contratação de pessoal especializado sem licitação e contratação ilegal de veículos automotores de auxiliares de confiança.

Em 2007, como secretário de Administração da prefeita Cleuseli Missassi Heller, sua esposa, chegou a ser preso. Ele foi considerado responsável por improbidade administrativa, configurada pelo favorecimento de uma única empresa em processos licitatórios do município. Dois anos depois, o  Tribunal de Justiça  manteve a condenação.

Na semana passada, a Polícia Civil deflagrou operação Fraudator, em Peixoto de Azevedo para investigar o envolvimento de servidores da prefeitura em um esquema de venda de lotes públicos, loteamento irregular, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistema de informação e estelionato. Um servidor foi preso.





Por: Só Notícias/Cleber Romero

Outras notícias

Comentários