anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Mulher é presa acusada de vender drogas próximo de escola em Peixoto de Azevedo

Mulher é presa acusada de vender drogas próximo de escola em Peixoto de Azevedo

access_time21/05/2019 09:11

Uma mulher foi presa pela Polícia Militar acusada de tráfico de drogas nas proximidades de uma escol

Vereadores se reúnem com assessoria jurídica do PREVIPAZ para discutir projeto de lei

Vereadores se reúnem com assessoria jurídica do PREVIPAZ para discutir projeto de lei

access_time29/06/2021 15:46

Em reunião nesta terça-feira (29) na sala de reuniões do Poder Legislativo peixotense estiveram reun

Bolsonaro sanciona lei que permite internação involuntária de dependentes químicos

Bolsonaro sanciona lei que permite internação involuntária de dependentes químicos

access_time06/06/2019 08:37

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei aprovada pelo Congresso que autoriza a internação involu

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão na casa de ex-prefeito de Peixoto de Azevedo

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão na casa de ex-prefeito de Peixoto de Azevedo

access_time12/03/2019 15:52

Policiais civis da delegacia regional de Guarantã do Norte e servidores do Ministério Público cumpriram, esta manhã, mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito de Peixoto de Azevedo, Edmar Heller.

Um investigador confirmou, que a operação investiga o possível envolvimento de Heller na criação de empresas ‘laranjas’ para favorecimento em licitações. O objetivo da busca é apreender documentos. Ainda não foi confirmado se há mandado de prisão.

Heller foi prefeito de Peixoto em 2000. Ele teve o mandato cassado após ser acusado de desvio de recursos públicos, contratação de pessoal especializado sem licitação e contratação ilegal de veículos automotores de auxiliares de confiança.

Em 2007, como secretário de Administração da prefeita Cleuseli Missassi Heller, sua esposa, chegou a ser preso. Ele foi considerado responsável por improbidade administrativa, configurada pelo favorecimento de uma única empresa em processos licitatórios do município. Dois anos depois, o  Tribunal de Justiça  manteve a condenação.

Na semana passada, a Polícia Civil deflagrou operação Fraudator, em Peixoto de Azevedo para investigar o envolvimento de servidores da prefeitura em um esquema de venda de lotes públicos, loteamento irregular, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistema de informação e estelionato. Um servidor foi preso.





Por: Só Notícias/Cleber Romero

Outras notícias

Comentários