anuncie aqui
Notícias recentes
Fluxo de veículos na BR-163 em MT deve aumentar até 83% no feriado prolongado

Fluxo de veículos na BR-163 em MT deve aumentar até 83% no feriado prolongado

access_time20/04/2019 09:24

O fluxo de veículos leves na BR-163 em Mato Grosso deve aumentar em até 83% durante o feriado prolon

Primeiro transplante do Brasil completa 50 anos

Primeiro transplante do Brasil completa 50 anos

access_time25/05/2018 14:33

Há 50 anos, o lavrador de Mato Grosso João Boiadeiro, codinome de João Ferreira da Cunha, viu sua vi

Ministro do STF da fim ao sigilo em delação de empresário acusado de esquema na Secretaria de Educação

Ministro do STF da fim ao sigilo em delação de empresário acusado de esquema na Secretaria de Educação

access_time19/10/2018 17:25

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (19)

Por unanimidade, 2ª Turma do STF nega liberdade a Lula
O ex-presidente Lula (Foto: Mauro Pimentel/AFP/Arquivo)

Por unanimidade, 2ª Turma do STF nega liberdade a Lula

Ex-presidente está preso desde abril por determinação de Sérgio Moro, e defesa recorreu ao Supremo. Em julgamento virtual, os cinco ministros da Segunda Turma rejeitaram pedido.

access_time10/05/2018 20:16

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por unanimidade, conceder liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o mês passado.

O julgamento do pedido de Lula, em plenário virtual, começou no último dia 4, e os ministros da Turma tinham até as 23h59 desta quinta (10) para apresentar os votos.

Votaram contra conceder liberdade a Lula:

  • Luiz Edson Fachin (relator);
  • Dias Toffoli;
  • Gilmar Mendes;
  • Ricardo Lewandowski;
  • Celso de Mello.

Até esta quarta (9), quatro ministros já haviam votado. O último a entregar o voto foi Celso de Mello, concluindo o julgamento.

Lula foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), segunda instância da Justiça responsável pela Lava Jato, a 12 anos e 1 mês de prisão, em regime inicialmente fechado.

A condenação se deu no processo relacionado ao triplex em Guarujá (SP). Lula se diz inocente.

A defesa do ex-presidente recorreu argumentando que a prisão não poderia ter sido decretada pelo juiz Sérgio Moro em 5 de abril uma vez que ainda havia embargos de declaração pendentes de análise no TRF-4. Os recursos só foram julgados em 18 de abril.

Julgamento virtual
Responsável por analisar o pedido da defesa de Lula, Fachin enviou a decisão para o plenário virtual da Segunda Turma. Geralmente, os processos incluídos nesse plenário são aqueles que demandam menos discussão e costumam seguir o entendimento consolidado do STF.

Pelas regras, Fachin deveria ser o primeiro a inserir o voto no sistema e, a partir daí, os outros ministros da Turma teriam as seguintes opções:

  • Concordar com o relator;
  • Acompanhar o relator com ressalva de entendimento;
  • Discordar do relator.

Antes mesmo de enviar o caso para julgamento, Fachin já havia negado o pedido por considerar que a existência de embargos de declaração pendentes não impedia a execução da pena.

No processo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também defendeu que recursos apresentados a tribunais superiores não impedem a prisão.





Por: G1

Outras notícias

Comentários