Banner Outras
Notícias recentes
Justiça Federal autoriza pais a cultivarem maconha para tratamento do filho

Justiça Federal autoriza pais a cultivarem maconha para tratamento do filho

access_time12/03/2020 08:54

O juiz Federal Paulo Cézar Alves Sodré, da 7ª vara Federal Criminal do TRF da 1ª região, concedeu li

Após 4 meses de proibição, pesca é liberada nos rios de MT na sexta-feira (1º)

Após 4 meses de proibição, pesca é liberada nos rios de MT na sexta-feira (1º)

access_time30/01/2019 07:14

O período de Piracema, que começou em outubro, termina na próxima quinta-feira (1º), nos rios de Mat

Aluna de 13 anos tem pé esmagado por ônibus escolar em Sorriso

Aluna de 13 anos tem pé esmagado por ônibus escolar em Sorriso

access_time12/06/2018 10:01

Uma estudante de 13 anos teve o pé esmagado pelo pneu de ônibus escolar nessa segunda-feira (11) em

Produção industrial cai 0,2% de abril para maio, diz IBGE
Agência Brasil

Produção industrial cai 0,2% de abril para maio, diz IBGE

access_time02/07/2019 12:12

A produção industrial brasileira recuou 0,2% na passagem de abril para maio deste ano. O dado, da Produção Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), foi divulgado hoje (2), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda veio depois de uma alta de 0,3% em abril, na comparação com março.

Por outro lado, a produção industrial teve alta de 7,1% na comparação com maio de 2018, depois das quedas de 3,9% em abril e de 6,2% em março. No acumulado do ano, houve queda de 0,7% no acumulado do ano. Já no acumulado de 12 meses, a produção não apresenta variação.

De abril para maio, a queda foi puxada pelos bens de consumo. Os bens duráveis apresentaram um recuo de 1,4% e os semi e não duráveis caíram 1,6%.

Os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos do setor produtivo, tiveram alta de 0,5%, enquanto os bens intermediários - os insumos industrializados usados no setor produtivo -, avançaram 1,3%.

Dezoito dos 26 ramos industriais tiveram queda na produção de abril para maio, com destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (2,4%), bebidas (3,5%), couro, artigos para viagem e calçados (7,1%), outros produtos químicos (2%), produtos de metal (2,3%), produtos de minerais não-metálicos (2,1%) e produtos diversos (5,8%).

Entre os oito ramos com alta na produção, o melhor desempenho foi apresentado pelas indústrias extrativas, que avançaram 9,2% e eliminaram parte do recuo de 25,6% acumulado nos quatro primeiros meses de 2019. Também teve alta importante o setor de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (3,2%).





Por: Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

Outras notícias

Comentários