ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Ambev registra lucro de mais de R$ 12 bilhões em 2019

Ambev registra lucro de mais de R$ 12 bilhões em 2019

access_time27/02/2020 09:41

A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R

Quadrilha presa por roubo de gado furtou 2 mil animais e causou prejuízo de R$ 3 milhões

Quadrilha presa por roubo de gado furtou 2 mil animais e causou prejuízo de R$ 3 milhões

access_time21/08/2020 09:08

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (20) prendeu 20 pessoas envol

Licenciamento de veículos com placas finais 5, 6 e 7 vence dia 30 de setembro

Licenciamento de veículos com placas finais 5, 6 e 7 vence dia 30 de setembro

access_time10/09/2021 10:10

Os proprietários de veículos com placas finais 5, 6 e 7 devem efetuar o pagamento do Licenciamento 2

Putin compara invasão da Ucrânia à vitória na 2ª Guerra Mundial
Presidente russo, Vladimir Putin, em celebração do Dia da Vitória, em Moscou
Foto por: Foto: REUTERS/Evgenia Novozhenina

Putin compara invasão da Ucrânia à vitória na 2ª Guerra Mundial

Presidente russo discursou na Praça Vermelha para marcar o 77º aniversário do Dia da Vitória, em que tropas de seu país derrotaram a Alemanha nazista, mas não anunciou novos rumos dos ataques militares em território ucraniano, como se esperava.

access_time09/05/2022 08:15

O presidente russo, Vladimir Putin, comparou nesta segunda-feira (9) a trajetória de suas tropas na invasão à Ucrânia à vitória de seu país sobre a Alemanha Nazista durante a 2ª Guerra Mundial. Em discurso sem novidades para celebrar o 77º Dia da Vitória, data que marca a derrota dos alemães na Rússia, Putin alegou que "foi forçado" pela Otan a atacar o país vizinho.

O discurso chamou a atenção dos países do Ocidente, que esperavam um anúncio de escalada na guerra da Ucrânia. O serviço de inteligência dos Estados Unidos afirmou na semana passada que Moscou poderia usar a data para fazer uma declaração formal de guerra. No entanto, Putin não fez nenhum novo anúncio e se dedicou a tentar incentivar suas tropas evocando os soldados da 2ª Guerra Mundial.

Dirigindo-se a centenas de militares na Praça Vermelha, Putin condenou o que chamou de ameaças externas para enfraquecer e dividir a Rússia, e repetiu argumentos familiares que ele usou para justificar sua invasão — que a OTAN estava criando ameaças logo em seguida. às suas fronteiras.

"Defender a pátria quando seu destino está sendo decidido sempre foi sagrado", disse ele. "Hoje você está lutando por nosso povo em Donbas, pela segurança da Rússia, nossa pátria.

Em 11 minutos de discurso, no entanto, Putin não mencionou a Ucrânia pelo nome, não fez nenhuma avaliação do progresso na guerra e não deu nenhuma indicação de quanto tempo poderia continuar.

Também não houve menção à batalha por Mariupol, a cidade no sul da Ucrânia que Moscou afirma ter conquistado, mas onde soldados ucranianos resistem no complexo metalúrgico de Azovstal.

Putin comparou repetidamente a guerra - que ele descreve como uma batalha contra perigosos nacionalistas "nazistas" na Ucrânia - ao desafio que a União Soviética enfrentou quando Adolf Hitler invadiu em 1941.

O líder russo disse ainda ter certeza de que a "operação militar especial", como seu governo chama a guerra na Ucrânia, alcançará o resultado esperado por ele.

Reações

Em reação à celebração russa, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que é a Rússia que está encenando uma "reencenação sangrenta do nazismo" na Ucrânia.

Em discurso feito enquanto caminhava pelas ruas de Kiev, Zelensky disse que "não permitiremos que ninguém roubará nenhum pedaço de nossa terra".

Já o ministro da Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, afirmou acreditar que a Ucrânia derrotará as tropas da Rússia. Wallace declarou que, para Putin, "não pode haver um dia da vitória, apenas da desonra e da derrota segunda na Ucrânia".





Por: Por g1

Outras notícias

Comentários