anuncie aqui
Notícias recentes
Reunião sobre frete termina sem acordo; Fux decidirá em agosto

Reunião sobre frete termina sem acordo; Fux decidirá em agosto

access_time28/06/2018 14:51

A segunda reunião no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a tabela de preços mínimos de frete, reali

Futsal feminino de Peixoto está na 3ª fase da Copa Centro América

Futsal feminino de Peixoto está na 3ª fase da Copa Centro América

access_time23/05/2018 09:29

A equipe de futsal feminino de Peixoto de Azevedo jogará terceira fase da Copa Centro América no mun

Foguete russo falha durante voo para o espaço; tripulação pousa em segurança

Foguete russo falha durante voo para o espaço; tripulação pousa em segurança

access_time11/10/2018 08:57

Um foguete propulsor carregando uma nave espacial Soyuz que levava um russo e um norte-americano par

Segunda Turma do STF confirma para a próxima terça-feira julgamento de pedido de liberdade de Lula

Segunda Turma do STF confirma para a próxima terça-feira julgamento de pedido de liberdade de Lula

Defesa quer que ex-presidente possa aguardar em liberdade julgamentos de recursos nos tribunais superiores; também pede que inelegibilidade de Lula seja suspensa

access_time19/06/2018 18:42

O presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, confirmou para a próxima terça-feira (26) o julgamento de um pedido de liberdade apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Trata-se de um pedido de efeito suspensivo da execução da pena, que pode deixar o ex-presidente aguardar em liberdade enquanto os recursos são julgados nas instâncias superiores. A defesa também quer que seja suspensa a inelegibilidade gerada com a condenação na segunda instância da Justiça.

Na semana passada, o relator da Lava Jato, ministro Luiz Edson Fachin, indicou o caso para julgamento no dia 26, mas a confirmação da data ainda dependia de Lewandowski.

Condenado a 12 anos e 1 mês, em regime inicialmente fechado, Lula está preso desde abril na Polícia Federal em Curitiba (PR). Ele foi condenado, em segunda instância, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A prisão foi decretada porque, no entendimento do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), o presidente recebeu da OAS um triplex em Guarujá (SP) em retribuição a contratos firmados pela construtora com a Petrobras.

Desde o começo das investigações, Lula nega a acusação, afirmando que o imóvel não é dele e que ele não praticou crimes. A defesa do ex-presidente também afirma que a acusação do Ministério Público não apresentou provas.

O pedido de liberdade
Na semana passada, a defesa do ex-presidente pediu a suspensão da prisão para Lula responder em liberdade até o julgamento dos recursos nas instâncias superiores.

Nos pedidos, a defesa reitera argumentos já apresentados ao próprio TRF-4 que apontam supostas irregularidades no processo, como incompetência de Sérgio Moro para analisar o caso, falta de imparcialidade no julgamento e de isenção por parte dos procuradores do Ministério Público.

Os advogados de Lula alegam que a soltura "não causará nenhum dano à Justiça Pública ou à sociedade" e que a manutenção dele na cadeia causa "lesão grave de difícil reparação".





Por: Mariana Oliveira, TV Globo, Brasília

Outras notícias

Comentários