anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Yasmin Brunet posta foto e provoca: ‘Tá na minha mão’

Yasmin Brunet posta foto e provoca: ‘Tá na minha mão’

access_time24/04/2023 09:52

A modelo Yasmin Brunet arrancou elogios de seus seguidores após postar uma foto usando um biquíni ve

Acusado de agredir esposa com cadeiradas é preso em Colíder

Acusado de agredir esposa com cadeiradas é preso em Colíder

access_time19/10/2023 08:34

A Polícia Militar prendeu o homem, de 34 anos, ontem à noite, acusado de violência doméstica contra

Governo Lula acelera pagamento de emendas às vésperas da sabatina de Zanin

Governo Lula acelera pagamento de emendas às vésperas da sabatina de Zanin

access_time20/06/2023 06:30

Para não repetir as derrotas sofridas na Câmara dos Deputados, o governo de Luiz Inácio Lula da Silv

Senado aprova texto da reforma tributária por 53 votos a 24; PEC volta para a Câmara
Texto aprovado ampliou parte das exceções da proposta e criou o cashback no consumo de gás de cozinha para famílias de baixa renda (foto: agência senado)

Senado aprova texto da reforma tributária por 53 votos a 24; PEC volta para a Câmara

Proposta que altera o sistema tributário brasileiro precisava do parecer favorável de pelo menos 49 dos 81 senadores; mudanças agora precisam ser analisadas por deputados

access_time08/11/2023 19:07

Senado Federal aprovou o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma tributária com 53 votos favoráveis e 24 contrários nesta quarta-feira, 8. A PEC precisa do aval de três quintos da Casa, isto é, ao menos 49 dos 81 senadores. A aprovação ocorre um dia após a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado dar aval ao texto, com as mudanças feitas pelo relator da matéria, o senador Eduardo Braga (MDB-AM). Os destaques ainda serão avaliados pelos senadores. Agora, a proposta volta para a Câmara dos Deputados para ter as mudanças analisadas. A alteração em uma Casa exige nova apreciação da outra. É possível haver a promulgação “fatiada” da medida, considerando apenas a parte aprovada pelas duas Casas.

O texto aprovado pelos senadores ampliou parte das exceções da proposta e criou o cashback (devolução do valor pago) obrigatório no consumo de gás de cozinha para famílias de baixa renda. No relatório anterior, já era obrigatória a devolução de imposto para o consumo de energia elétrica de beneficiários do CadÚnico. Entre as isenções fiscais que foram incluídas ou mantidas na reforma estão a isenção na compra de automóveis por pessoas com deficiência ou no espectro autista, bem como por taxistas, e a alíquota zero na aquisição de medicamentos e dispositivos médicos pela Administração Pública e por entidades de assistência social sem fins lucrativos. Também foram incluídos benefícios fiscais para montadoras que invistam em carros movidos a álcool, além da manutenção da concessão de créditos tributários para produção de veículos elétricos, válida para plantas de fábricas aprovadas ou implantadas até dezembro de 2025. A imunidade de IPVA para embarcações que exerçam atividades econômicas também foi adicionada na proposta.

A reforma tem objetivo de simplificar o sistema tributário e transformará cinco tributos (ICMS, ISS, IPI, PIS e Cofins) em três: o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) e Imposto Seletivo (IS). Cada novo tributo terá um período de transição. A CBS e o IBS, que tributam o consumo, são formas de Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que incide apenas nas etapas do comércio que geram novo valor ao produto ou serviço e assim evita novas cobranças sobre impostos já pagos. Para que seja aprovada, uma PEC depende do apoio de 3/5 da composição de cada Casa, em dois turnos de votação em cada Plenário. No Senado, são necessários os votos de, no mínimo, 49 senadores. O texto só é aprovado se houver completa concordância entre a Câmara dos Deputados e o Senado. Como o relator apresentou um substitutivo, o texto passará por nova análise dos deputados.





Por: Jovem Pan

Outras notícias

Comentários